Vista das Ruínas do Antigo Hotel Cassina

Vista das Ruínas do Antigo Hotel Cassina

Vista das ruínas do antigo Hotel Cassina

Situado na então antiga praça da República, atual Dom Pedro II, em um prédio de dois andares. Erguido nas esquinas das ruas Frei José dos Inocentes e Governador Vitório, no Centro, o Hotel Cassina teve como primeiro proprietário o italiano Andréa Cassina. A referência mais antiga que existe sobre o início de suas atividades é um anúncio publicado no jornal Amazonas, de 1º de setembro de 1897.

Em 1905, o hotel já estava sob a gerência da empresa Luiz Pinto & Cia., quando passou por reformas e foi então reinaugurado na véspera de Natal daquele ano, com uma nova denominação: Grande Hotel Cassina.

De Hotel de luxo a Casa de Jogos

Devido ao declínio da economia gumífera em Manaus, o estabelecimento, outrora frequentado pelos barões da borracha, transformou-se assim em uma hospedaria e casa de jogos. De Cassina, o hotel passou a ser chamado, popularmente, de Cabaré Chinelo, denominação que utilizou até o encerramento de suas atividades.

Atualmente, o prédio encontra-se em ruínas e somente as quatro paredes externas ainda permanecem de pé. No entanto, a Secretaria de Estado da Cultura – SEC pretende restaurar o imóvel e transformá-lo no Centro de Arte Contemporânea Hotel Cassina, que será um espaço para exposições, ao estilo do Centro Cultural Palácio Rio Negro.

Primeiro centro de empreendedorismo e inovação do Norte, o espaço é então considerado um marco na criação do Polo Digital da cidade de Manaus e oferecerá capacitações empreendedoras, oficinas na área da Indústria 4.0 e servirá de apoio para startups que buscam se desenvolver no Amazonas.

Em suma, atualmente (2021) o Antigo Hotel Cassina deu lugar ao Casarão da Inovação Cassina. O espaço promete fomentar e desenvolver a inovação no Estado do Amazonas. Sua inauguração ocorreu em 18 de novembro de 2020.

Acervo: Jornal do Commercio.

Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.