Vista Aérea do Estádio General Osório

Vista Aérea do Estádio General Osório

Vista aérea do estádio General Osório, com o ginásio coberto do Colégio Militar ainda em construção. Década de 1970.

 

Em 1937, por meio do Ato 2, de 21 de dezembro, o Município concedeu a então Praça General Osório ao comando da Guarnição Federal e do 27º Batalhão de Caçadores. Para a instalação de um estádio destinado à prática de educação física. A inauguração assim desse parque de exercícios foi em 2 de outubro de 1938. Denominado Estádio General Osório servia assim tanto aos militares quanto ao público em geral.

O Início do Festival Folclórico do Amazonas

Na segunda metade da década de 1950, o campo do General Osório sediou uma das maiores manifestações culturais do Estado. O então Festival Folclórico do Amazonas. Idealizado pelo jornalista Bianor Garcia e patrocinado pela empresa Archer Pinto, a primeira edição do festival teve início em 21 de junho de 1957.

Oriunda da divisão do então antigo largo da Campina, a extinta Praça General Osório localizava-se na área hoje compreendida pelo complexo esportivo do Colégio Militar de Manaus e Colégio Dom Bosco. Entre a avenida Epaminondas e as ruas Padre Ghislandi, Luiz Antony e José Clemente. Seu terreno foi aplainado em 1897. E o ajardinamento foi contratado três anos mais tarde, em 1º de maio de 1900, com Antônio Fernandes de Carvalho.

Colégio Militar de Manaus

O superintendente Martinho de Luna Alencar, em 1902, mandou construir um pequeno chalé no jardim dessa Praça para guardar as ferramentas e utensílios utilizados assim na manutenção do logradouro, além de servir de abrigo a um guarda. Em 1905, recebeu assim a instalação de uma fonte e outros melhoramentos. O prefeito Jorge de Moraes (1911-1913) mandou reformar parte do jardim e pintar os tanques, o chalé e o mictório.

No governo municipal de Araújo Lima (1926-1929), a Praça foi assim transformada em um parque, com variadas plantas ornamentais, além de aparelhos à recreação infantil. Entre os melhoramentos realizados, houve a reforma do antigo coreto em forma de anfiteatro, que foi demolido pelo prefeito Antônio Maia em fins da década de 1930.

Nesse campo, o Festão do Povo viveu assim seu primeiro ciclo de sucesso até o início da década de 1970. O então prefeito Paulo Nery, por meio do Decreto 163, de 23 de dezembro de 1971, concedeu, definitivamente, o terreno do Estádio General Osório ao Ministério do Exército para que ali fosse assim instalado o Colégio Militar de Manaus. A partir daí, a então área foi cercada e tornou-se de uso exclusivo às atividades do CMM, o que decretava o fim da Praça General Osório.

Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Foto: Correia Lima.

Acervo: Eduardo Braga.

Detalhe da piscina da Praça General Osório.

Acervo: Biblioteca do IBGE – Arquivo Fotográfico Ilustrativo dos Municípios Brasileiros.