Vista aérea da Praça da Vila-Nossa Senhora de Nazaré

Vista aérea da Praça da Vila-Nossa Senhora de Nazaré

 

Cartão-postal A Favorita.

A abertura dessa Praça estava prevista no então projeto de construção da Vila Municipal, aprovado pela Lei 218, de 30 de maio de 1900, na administração do superintendente Arthur Cesar Moreira de Araújo. De acordo com a Planta dos terrenos da Vila Municipal, projetada pelo engenheiro João Carlos Antony, esse logradouro iria ocupar a área central do loteamento, no cruzamento de duas avenidas. A Praça foi construída, em formato quadrangular. Em uma área entre cortada pela rua Fortaleza e a atual avenida Mário Ypiranga Monteiro, que também já teve a denominação de Recife e estrada do Ezequiel.

Sua primeira denominação oficial – Praça Silvério Nery – deu-se em homenagem ao então governador do Amazonas. Sendo atribuída por meio do Decreto 8, de 8 de outubro de 1901, de autoria do Executivo Municipal, aprovada no dia 30 de novembro, pela Lei 240, da Intendência Municipal. Esse logradouro, no entanto, ficou conhecido, popularmente, como Praça da Vila devido à sua localização.

A Lei 647, de 9 de dezembro de 1910, denominou-lhe Praça Orlando Lopes. Em homenagem ao então jornalista que liderou, junto a intelectuais e boêmios de Manaus, uma expedição em favor da independência do Acre (MONTEIRO, 1998).

Praça do Salvador

Em 1919, ocorreu a criação de uma feira livre municipal para a comercialização de produtos agropecuários nessa Praça. No início da década de 1930, por meio do Decreto 49, de 9 de setembro de 1931, de autoria do então prefeito Emmanuel de Moraes, seu nome foi alterado para Praça do Salvador. Passados três anos, foi reformada e recebeu a instalação de um pavilhão rústico para servir de abrigo de bondes.

Devido existir, naquela área, a igreja de Nossa Senhora de Nazaré, os populares também chamavam essa Praça pela mesma denominação do templo. A principal reforma ocorrida nesse logradouro foi realizada na então administração do prefeito Gilberto Mestrinho (1956-1958). Quando foi construído um jardim iluminado, com canteiros de plantas ornamentais, passeios de cimento e calçamentos laterais, além de um parque infantil. Sua última reforma ocorreu em 2003, pelo prefeito Alfredo Nascimento. As obras duraram quatro meses e a Praça foi reinaugurada em 15 de abril daquele ano.

Os melhoramentos incluíram assim um monumento em homenagem à religiosidade; um chafariz, onde houve a instalação de uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré, confeccionada por artistas de Parintins/AM. Colocação de pisos de concreto prensado e estampado, nos canteiros e nas calçadas, no entorno da igreja. Foram assim mantidas as pétalas de iluminação e instalação de novas luminárias, do tipo sub-bosque, além de lixeiras.

Imagem retirada do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.