Prédio do Antigo Cine Theatro Polytheama

Prédio do Antigo Cine Theatro Polytheama

Prédio do Antigo Cine Theatro Polytheama

 

Existiram dois estabelecimentos com a então denominação Polytheama. Um deles foi uma casa de diversões e botequim, inaugurada em agosto de 1899, na esquina da então avenida Eduardo Ribeiro com a rua Henrique Martins. As projeções de filmes nesse local iniciaram assim somente em outubro de 1900. Em novembro de 1906, teve sua transferência para outro ponto da avenida Eduardo Ribeiro, esquina com a rua 24 de Maio. Nesse novo endereço, recebeu a denominação Theatro Polytheama e ali funcionou até janeiro de 1907.

O Cine Theatro Polytheama

Como sala propriamente para exibição, o Cine Theatro Polytheama – que não tinha relação alguma com o anterior, a não ser o nome – foi então inaugurado em 14 de julho de 1912 pela Empresa J. Fontenelle & Cia. Funcionava na então esquina da rua Municipal com a avenida 13 de Maio, respectivamente, as atuais avenidas Sete de Setembro e Getúlio Vargas. Sua capacidade de lotação era de 1.500 lugares.

Em 1959, esse cinema passou por uma reforma completa e sua capacidade foi reduzida para 1.200 lugares. A sala então reabriu em 1º de agosto desse mesmo ano, com maquinário de projeção moderno e automático, novo sistema sonoro e iluminação indireta. O filme exibido na reestreia foi Guerra e Paz, que contou com a presença dos representantes, no Brasil, da Paramount e da Metro Goldwyn-Mayer.

Em 1973, o Polytheama cedeu lugar a uma rede de eletrodomésticos. Em seguida, foi uma agência bancária, depois, uma empresa de câmbio e turismo e, atualmente, é uma loja de departamentos. De sua arquitetura original, hoje resta-lhe apenas o frontão, assim ornado com uma lira e duas sereias.

Foto: Durango Duarte.

Cartão-postal Livraria Acadêmica.

Foto: G. Huebner & Amaral.

Acervo: Joaquim Marinho.

Imagem retirada do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.