Praça Nove de Novembro Durante Reforma na Década de 1970

Praça Nove de Novembro Durante Reforma na Década de 1970

 

Praça Nove de Novembro Durante Reforma na Década de 1970

A área da Praça Nove de Novembro originada da divisão do Largo do Pelourinho. Localizada entre as atuais ruas Governador Vitório, Visconde de Mauá e Monteiro de Souza. Em 1866, ela já aparece com a então denominação Praça Tenreiro Aranha. Homenagem a João Baptista de Figueiredo Tenreiro Aranha, primeiro presidente da Província do Amazonas.

O primeiro jardim desse logradouro foi construído em 1881, obra então executada pelo engenheiro Gregório Thaumaturgo de Azevedo. Decorridos 25 anos, a Praça recebeu, em 1906, a instalação de um busto em homenagem ao então Almirante Joaquim Marques de Lisboa, mais conhecido como Almirante Tamandaré. Porém, somente em 1921, devido à Lei Municipal 1.076, de 20 de março, que esse logradouro também passou a se chamar Praça Tamandaré.

Em 1923, ano do centenário da adesão de Manaus ao movimento que defendeu a Independência do Brasil, sua denominação foi então alterada para Praça Nove de Novembro, por meio da Lei 1.220, de 27 de outubro daquele ano, de autoria do intendente Vivaldo Lima. Essa nomenclatura está relacionada diretamente com a data em que Manaus aderiu àquela causa:dia 9 de novembro de 1823.

Praça da Bandeira

Na administração do então prefeito José Francisco de Araújo Lima, a Lei 1.477, de 16 de abril de 1928, mudou mais uma vez a nomenclatura da Praça. Agora para Praça Alfredo Sá, em homenagem ao ex-interventor do Estado. Dois anos depois, o então administrador municipal Marciano Armond assinou o Decreto 3, de 1º de novembro de 1930, e o logradouro voltou a utilizar a denominação Praça Nove de Novembro. Seu nome foi modificado novamente em 1939, quando o prefeito Antônio Maia, devido assim às comemorações dos 50 anos de instituição da Bandeira Nacional, sancionou o Ato 127, de 17 de novembro, que lhe deu a nomenclatura Praça da Bandeira. Mesmo assim, sua nomenclatura mais conhecida até os dias de hoje ainda é Praça Nove de Novembro.

Programa Monumenta

Alteradas as suas características originais ao longo dos anos, na década de 60, possuía três canteiros ajardinados. Na gestão municipal de Jorge Teixeira, essa Praça passou por uma reforma realizada pela empresa Engecil. Que modificou assim o seu aspecto, sendo instalado, em sua área central, uma lanchonete. Nos últimos anos, foi reduzida a apenas um canteiro de formato irregular, localizado em frente ao então Museu do Porto, entre as ruas Governador Vitório, Visconde de Mauá e Tamandaré.

No final de 2008, por meio do programa Monumenta, o Ministério da Cultura, a Prefeitura de Manaus iniciou a então reestruturação da Praça Nove de Novembro. Baseada no projeto do arquiteto Almir de Oliveira, que prevê a inclusão de novos canteiros e jardins e a arborização de sua área.

Além disso, também receberá piso com temática indígena, retratando pinturas que representam homens e animais, e a instalação do Monumento aos Manáos. Homenagem ao povo indígena que habitava, no período pré-colonial, a área hoje ocupada pela cidade de Manaus.

Foto: Hamilton Salgado.

Acervo: Jucineide Araújo.

Foto: Durango Duarte.

Fonte: Google Earth.

Imagem retirada do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.