Praça Gonçalves Dias ou Poeta Sebastião Norões

Praça Gonçalves Dias ou Poeta Sebastião Norões

Praça Gonçalves Dias com o Pavilhão São Jorge, ao centro.

Em 1950, a Câmara Municipal aprovou a Lei 304, de novembro, que autorizou a Prefeitura de Manaus a concedera José de Brito Pina, por um período de 20 anos, uma área entre a então Praça João Pessoa, atual Heliodoro Balbi, e o Cine-Theatro Guarany para construção de um pavilhão. Esse imóvel foi denominado Pavilhão São Jorge, santo de devoção do proprietário, e inaugurado em 3 de maio do ano seguinte.

Gestão do prefeito Jorge Teixeira

O estabelecimento era frequentado por artistas, poetas, jornalistas, escritores, professores e estudantes, que ali se reuniam. Por volta de 1955, o então recém-criado Clube da Madrugada deu-lhe a nova nomenclatura de República Livre do Pina. Em 1976, na gestão do prefeito Jorge Teixeira, o Café do Pina foi demolido e reerguido na área, à época, denominada então Praça Roosevelt.

Permaneceu nesse local até 1986, quando o então prefeito Manoel Ribeiro o transferiu para o seu local de origem. No final de 2008, ocorreu a demolição do quiosque e construiu-se um jardim em seu lugar. O Café do Pina foi reinaugurado no dia 25 de março de 2009, na parte térrea do então Centro Cultural Palacete Provincial.

Acervo: Eduardo Braga.

Foto: Correia Lima.

Imagem retirada do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.