Praça Francisco Pereira da Silva a Bola da Suframa

Praça Francisco Pereira da Silva a Bola da Suframa

Vista aérea Praça Francisco Pereira da Silva a Bola da Suframa

A então Superintendência da Zona Franca de Manaus – Suframa iniciou, em 1972, através da empresa Conterra, a construção de uma praça na entrada do Distrito Industrial, com uma área de setenta mil metros quadrados, que ficou conhecida como Praça Zona Franca ou Praça da Suframa. Ainda em 1972, as obras ficaram paralisadas devido à falência da Conterra.

O projeto de construção da Praça foi então retomado por contrato firmado entre a Suframa e a construtora ESUSA, em 12 de novembro de 1974. O autor do projeto da Praça foi o paisagista paulista Fernando Chacel. A denominação, oficialmente, Praça Francisco Pereira da Silva é uma homenagem ao deputado federal, que idealizou o projeto da Zona Franca de Manaus e primeiro superintendente da Suframa.

Sua inauguração ocorreu em 8 de janeiro de 1976. E contou com a presença de Rangel Reis, então ministro do Interior, e de Jacy Canavarro Pereira da Silva, esposa do homenageado, falecido em 10 de setembro de 1973. Em julho de 1980, com a visita do Papa João Paulo II a Manaus, a Praça recebeu a instalação de um palco, em formato de cruz, para a celebração da missa pelo líder da Igreja Católica.

Em 25 de maio de 2004, após três anos de construção, o Governo do Estado inaugurou o então Centro Cultural dos Povos da Amazônia – CCPA. Que ocupa, atualmente, toda a área da referida Praça, onde está assim instalado um pavilhão cultural com quase sete mil metros quadrados e uma arena de espetáculos com capacidade para dezessete mil pessoas. Mesmo possuindo nomenclatura oficial, continua sendo chamada simplesmente, de Bola da Suframa, por sua localização próximo ao prédio dessa Superintendência.

FESTIVAL FOLCLÓRICO DO AMAZONAS

A partir do final da década de 1970, a Praça Francisco Pereira da Silva passou a sediar o então Festival Folclórico do Amazonas. O Festão do Povo – já foi realizado em outros espaços. Como a praça General Osório, o Parque Amazonense, o Estádio da Colina e o Vivaldão. Na década de 1990, o festival mudou de lugar novamente e passou a acontecer na ferradura do Centro de Convenções, popularmente conhecido como Sambódromo. Após novas idas e vindas, o Festival Folclórico do Amazonas retornaria à Bola da Suframa em 2005. E, desde então, vem sendo realizado, no período das festas juninas, na arena do Centro Cultural Povos da Amazônia.

Foto: Hamilton Salgado.

Acervo: Igha.

Imagem retirada do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.