Pavilhão São Jorge ou Café do Pina

Pavilhão São Jorge ou Café do Pina

Pavilhão São Jorge na área da Praça Gonçalves Dias

Em 1950, a Câmara Municipal aprovou a Lei 304, de novembro, que autorizou a Prefeitura de Manaus a concedera José de Brito Pina, por um período de 20 anos, uma área entre a então Praça João Pessoa, atual Heliodoro Balbi, e o Cine-Theatro Guarany para construção de um Pavilhão.

Esse imóvel foi então denominado Pavilhão São Jorge, santo de devoção do proprietário, e inaugurado em 3 de maio de 1951. O estabelecimento era frequentado por artistas, poetas, jornalistas, escritores, professores e estudantes, que ali se reuniam. Por volta de 1955, o recém-criado Clube da Madrugada deu-lhe a nova nomenclatura de República Livre do Pina.

Permaneceu nesse local até 1986, quando o então prefeito Manoel Ribeiro o transferiu para o seu local de origem. No final de 2008, esse quiosque foi então demolido e em seu lugar construíram um jardim. O Café do Pina foi reinaugurado no dia 25 de março de 2009, na parte térrea do Centro Cultural Palacete Provincial.

Praça Gonçalves Dias

Jardim, em formato triangular, que se localizava entre o então Palacete Provincial, a Praça Heliodoro Balbi e a atual avenida Floriano Peixoto, de frente para o Cine-Theatro Guarany. Em sua parte central, construiu-se, em 1951, o então Pavilhão São Jorge, mais conhecido como Café do Pina.

Praça da Polícia

Sua abertura teve início em 1872, quando o presidente da Província, José de Miranda Reis, em Mensagem anual apresentada ao Congresso Legislativo, encomendou mudas de palmeiras barrigudas para arborizar a Praça do Palacete Provincial ou, simplesmente, Praça do Palacete, denominação que fazia referência ao edifício público de mesmo nome – cuja construção teve início em 1871 e concluída dois anos depois –,situado de frente para essa Praça.

Acervo: Manaustur

Imagem retirada do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.