Museu Ivan Ferreira Valente do Luso Sporting Club

Museu Ivan Ferreira Valente do Luso Sporting Club

Vista do interior do museu

Interior Museu Ivan Ferreira Valente do Luso Sporting Club. Com a intenção de registrar e preservar a história do clube e expor aos seus visitantes a evolução do Luso desde a sua fundação, a comunidade portuguesa radicada em Manaus fundou o então museu do Luso Sporting Club, cuja denominação é Ivan Ferreira Valente.

Esse espaço cultural mantido pelo Luso Sporting Club teve sua inauguração em 22 de dezembro de 2001 e funcionava na antiga sede do clube, nas esquinas das ruas Monsenhor Coutinho e Tapajós, Centro.

O acervo que conta a história da agremiação é oriunda de doações das tradicionais famílias portuguesas aqui residentes. Dispõe de documentos, fotos do clube, troféus, livros, instrumentos musicais da banda de música, mobiliário da extinta Escola Primária João de Deus, entre outras peças.

Em 30 de abril de 2005, seu acervo foi então transferido para o Centro Cultural Luso-Brasileiro, na rua Ferreira Pena, n 37, Centro, seu atual prédio. A área do térreo é também ocupada por outro museu, o Francisco Ferreira da Cruz, pertencente à então Sociedade Beneficente Portuguesa.

LUSO SPORTING CLUB

Fundado no dia 1º de maio de 1912 pela comunidade portuguesa residente em Manaus, o então Luso Sporting Club teve sua idealização feita por Francisco Gomes Rodrigues e denominado, inicialmente, Luso Futebol Club.

Até 1916, a única atividade do clube era o futebol. A diversificação de suas atividades teve início  em 1917 com a criação de uma escola de dança, de um grupo de teatro e de uma escola de música.

Em 1918, criou-se a então Escola Primária João de Deus, a banda de música do Luso e a escola de ginástica. A primeira sede do Luso localizava-se na rua Monsenhor Coutinho, Centro. Depois, o clube passou por vários endereços até instalar-se em seu prédio próprio, cuja pedra fundamental teve seu lançamento em 5 de outubro de 1936. Mas, somente em 12 de fevereiro 1938, o edifício foi ocupado.

Nos dias atuais, esse prédio está alugado a uma universidade particular. Entretanto, o Luso mantém sua sede campestre em atividade.

Foto: Fabio Nutti.

Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.