Maquete eletrônica do Projeto da Ponte sobre o rio Negro

Maquete eletrônica do Projeto da Ponte sobre o rio Negro

Maquete eletrônica do projeto da ponte sobre o rio Negro.

Obra que faz parte do projeto de expansão da então Região Metropolitana de Manaus, a ponte que está sendo construída sobre o rio Negro, entre a área chamada de Ponta do Ouvidor, no bairro Compensa, em Manaus, e a Ponta do Pepeta, na ilha do Camaleão, em Iranduba, originou-se de um projeto de lei apresentado pelo deputado estadual Francisco Souza, em 2003.

Nesse mesmo ano, o Executivo Estadual reuniu então uma comissão técnica para iniciar os estudos da viabilidade da construção dessa obra de arte. Os resultados foram concluídos em 13 de abril de 2007 e o processo licitatório foi aberto já no outro mês. A divulgação do resultado ocorreu em novembro seguinte, sendo vencedor o então consórcio Rio Negro. Composto pelas então empresas paulistas Camargo Corrêa e Construbase Arquitetura & Engenharia Ltda. Em julho de 2008, fincaram-se assim as primeiras estacas no meio do rio.

O orçamento inicial da obra é de, aproximadamente, 580 milhões de reais, recursos oriundos do Governo do Estado e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico – BNDES.

A ponte deverá ter uma extensão total de 3,6 quilômetros e pouco mais de vinte metros de largura; torre central, em forma de diamante, com 162 metros de altura; duas pistas em sentido contrário, com duas faixas de rolamento, cada, e acessos viários com três faixas de rolamento, em cada sentido. A conclusão das obras está então prevista para o primeiro semestre de 2010.

Ponte Jornalista Phelippe Daou

Em 24 de outubro de 2011, aniversário de 342 anos da capital do Amazonas foi inaugurada, a então Ponte Jornalista Phelippe Daou, mais conhecida como Ponte Rio Negro.

A Ponte Rio Negro, a maior ponte estaiada de 400 metros (seção suspensa por cabos) do Brasil para o rio, é a segunda maior ponte fluvial no mundo, superada apenas pela então ponte sobre o Rio Orinoco, na Venezuela. Sua largura total é de 20,70 metros no trecho convencional e 22,70 metros na parte estaiada.

Ela liga os municípios de Manaus e Iranduba, e também faz parte da Rodovia Manoel Urbano.

Acervo: Agecom.

Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.