Flutuantes fora da cidade dos ditos

Flutuantes fora da cidade

A princípio, dizem os entendidos que é um problema social, questão habitacional. Acreditamos! Não damos explicações por não entendermos do riscado, social é claro, nem temos cursado a escola do desembargador André. Em foto colorida, enfeitando cromo de folhinha, pode ser bonito. Mesmo no jornal, no preto e branco, existirá alguém que se apaixone pela paisagem. São os então, flutuantes do Igarapé de Manaus. Vistos de cima da Primeira Ponte, tendo como horizonte a margem do Educandos, também cheia deles. Com poesia, que gosto não se discute, e sendo farta a rima e certa a métrica, pode ganhar concurso. Em suma, com o rio cheio melhora de aspecto e dá até vontade da gente morar num deles. Muita palha, muita madeira. E muita promiscuidade também.

Coluna A Cidade em Foto do Jornal A Gazeta, 28 de novembro de 1963.