Bom gosto (às vezes) é privilegio

Bom gosto (às vezes) é privilegio

O cidadão que admira não é um caso isolado. Em questão de bom gosto estamos com ele, com grande parte da população, e com o artista que preparou a vitrine. Nada entulhado. Discrição. Tudo certinho, em seus devidos lugares, com uma aparência leve de que foram assim, simplesmente abandonados ali. Dentro e fora. Vitrine para ganhar prêmio em concurso sobre as ditas. Parte externa coberta de madeira regional. Requinte e glebarismo. Por detrás do vidro uma naturalidade assim, que encanta. Beleza para a vista. Espírito envaidecido. O provável leitor deve olhar, como nós olhamos, a vitrine da loja de Matos Areosa, na Eduardo Ribeiro. Certamente, com os olhos da alma, que a gente se sente bem…

Coluna A Cidade em Foto do Jornal A Gazeta, 07 de novembro de 1963.