DD Charges

compartilhe

DD Charges – Este livro é uma homenagem à liberdade de expressão e ao direito de expor os pensamentos por meio do humor e da ironia. Uma deferência especial aos chargistas amazonenses, sempre atentos ao que acontece em nosso cotidiano, transformando riscos e rabiscos em críticas sociais, políticas e econômicas.

O publicitário e escritor Durango Duarte reuniu 120 charges que foram divulgadas entre abril e julho de 2014 nas suas redes sociais da Durango Duarte Channel, retratando personagens da política local e nacional, sobretudo, os bastidores que a grande imprensa não publicou. Algumas destas charges chegaram até a serem censuradas pela Justiça Eleitoral do Amazonas, um fato, diga-se de passagem, lamentável, totalmente na contramão da democracia.

Aproveite o talento do ilustrador Gusmão e divirta-se.

Leia o livro nas seguintes plataformas:

 Google Books

 SlideShare

 PDF

Capa do livro DD Charges


Livro DD Charges - Instituto Durango Duarte (IDD)

Informações técnicas


Autor: Durango Duarte

Título: DD Charges

Páginas: 122

Ano: 2014

sobre o autor

Articulista-Durango-Duarte Durango Duarte é empresário, publicitário, escritor e pesquisador. É Diretor-Presidente do Instituto Durango Duarte e CEO das empresas #PESQUISA365 e The Voice. Nasceu em 11 de novembro de 1963, em Cachoeira do Sul/RS e veio com a família à capital amazonense em fevereiro de 1975. Apaixonado pela história, pelas memórias de Manaus.

 

Sobre o autor…

Iniciou o curso primário em 1970 no Colégio Marieta D’Ambrósio, cidade de Santa Maria (Rio Grande do Sul). Cinco anos depois, em 4 de fevereiro, transferiu-se com os seus pais para Manaus, onde ingressou no Colégio Militar. Permaneceu na capital amazonense até dezembro de 1978. De volta ao sul do Brasil, concluiu seus estudos no Colégio Militar de Porto Alegre, e, em seguida, ingressou no curso de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) e no curso de Matemática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Sua militância estudantil teve início na capital gaúcha e se estendeu até o final dos anos 80 em Manaus, cidade que o recebeu novamente em 7 de julho de 1982. Nesse mesmo ano, o então aluno da Universidade do Amazonas (UA) participou do Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE) como delegado eleito pelo curso de Matemática. Logo em seguida, filiou-se ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

Comentários: