Vista do Trapiche 15 de Novembro

Durango Duarte - Vista do Trapiche 15 de Novembro

[vc_row][vc_column][vc_images_carousel images=”11850″ img_size=”large”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Trapiche 15 de Novembro. Ao fundo, as torres da Catedral. Acervo: Moacir Andrade.

Segundo o dicionário Houaiss, trapiche é um armazém onde são estocadas mercadorias destinadas à exportação ou importação. O Trapiche 15 de Novembro foi construído em 1890 como complemento do prédio do Tesouro Estadual e Recebedoria e era responsável pela arrecadação das taxas das mercadorias que passavam pelas suas dependências. Já o Trapiche Teixeira, situava-se ao lado do prédio da Alfândega e pertencia às famílias Armindo Fonseca e José Teixeira. O Trapiche Witt era de propriedade de Cézar José de Figueiredo e foi adquirido pela Manáos Harbour em 1902, que o demoliu e, anos depois, cedeu o terreno para a Marinha construir   o prédio da Capitania dos Portos. E o último dos quatro, o Trapiche Ventillari, pertencia à firma Ventillari & Co. e sua frente era voltada para a rua Demétrio Ribeiro. Também foi incorporado pela Manáos Harbour e adaptado para funcionar como armazém.

Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]