Venha de “sujo”, mas brinque o carnaval

Venha de “sujo”, mas brinque o carnaval

Primeiramente, quem gosta de esquecer a tristeza, mudar a cara, ou, mesmo no faz de conta, trocar de sexo, saiba que chegou a hora. Não perca tempo, faça como os foliões da foto e venha pro asfalto. Esqueça as chamadas que os crediários fazem pela imprensa. então, pra que ficar triste e preocupado, se não vai resolver nada? Fantasia é coisa que se arranja, e, depois de “umas na cara”, vale tudo. Pinte-se, ponha uma saia, enrole a cabeça. Pra disfarçar um pouco, que o bom de verdade é todo mundo saber que é você mesmo quem está “de mascarado”. Fale o menos possível, que esse negócio de “você me conhece” já passou da moda. Venha de “sujo”, mas brinque o carnaval.

Coluna A Cidade em Foto do Jornal A Gazeta, 04 de fevereiro de 1964.