Monumento a Floriano Peixoto

Durango Duarte - Monumento a Floriano Peixoto

[vc_row][vc_column][vc_images_carousel images=”11682″ img_size=”large”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Monumento quando instalado na avenida Floriano Peixoto. Acervo: Moacir Andrade.

A construção de uma estátua em homenagem ao marechal Floriano Peixoto – presidente da República entre 1891-1894 –, na praça cujo nome também lhe homenageava, foi autorizada pela Lei Estadual 126, de 2 de setembro de 1895. O crédito para efetivação do projeto foi concedido seis anos mais tarde, por meio da Lei 220, de 1º de julho de 1901.

Apesar dessa iniciativa, somente seis décadas depois, em 7 de setembro de 1966, que o prefeito Paulo Nery inauguraria o busto – homenagem da Polícia Militar do Estado ao Marechal de Ferro. O local escolhido para sua instalação foi o canteiro central da avenida Floriano Peixoto, na confluência com as ruas dos Andradas e Doutor Moreira – área oriunda da antiga praça Marechal Thaumaturgo.

O monumento era composto por um pedestal e um busto em bronze. Essa escultura encontra-se, atualmente, instalada em um dos jardins laterais da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, sem identificação alguma.

Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]