Contando Histórias 24

Em 4 de julho de 2018 às 14:00, por Cláudio Barboza.

compartilhe

O telefonema de um querido amigo e jornalista de Minas Gerais, Estevan Dulci, me avisou que três jornalistas de São Paulo estavam em Manaus e precisavam falar comigo. O ano era 1995 e ali começava a história do Jornal do Norte, que teve uma existência meteórica, mas com passagens interessantes.

No primeiro encontro com os jornalistas de São Paulo, Paulo Markun, Marília Assef e Mercadante tive a informação de que o jornal pertencia ao empresário e empreiteiro Paulo Girardi, a quem só conhecia de vista e do noticiário. Fui convidado a assumir a editoria geral, que seria responsável pelas editorias de Cidade e Polícia.

Nenhum dos três conhecia o mercado de Manaus e nenhum outro jornalista que trabalhasse na capital amazonense. Passei então a ser o responsável pelas indicações de colegas jornalistas para compor o projeto que estava nascendo. Entre outros, indiquei Luiz Cláudio Tinôco, Sebastião Assante, Gabriel Andrade, Joana Queiroz, Robson Carvalho, Hiel Levy, Isaías Oliveira, Evandro Lôbo, Lúcia Cordeiro, Betty Rita, Osmir Medeiros, Miriam Malina, Ana Cláudia Jatahy, Castelo Branco, Adalto Xavier, Eduardo Gomes, J. Mendonça, Lenise Ypiranga, Liliane Maia, Beth Menezes e Nely Pedroso.

Outros como Paulo Castro e Paulo França Segadilha também foram indicados, mas não houve acordo.

O endereço do novo jornal era o bairro de São Sebastião, na avenida André Araújo,onde hoje funciona a Editora Novo Tempo. A redação estava sendo preparada. Em espaço físico seria a maior redação de Manaus e no andar de baixo uma impressora zerada estava pronta.

Um projeto novo e bem sucedido de Editoração do jornal “O Estado de Minas” foi comprado. Era tempo de começar o treinamento para editores e repórteres, mas uma contra-ofensiva da mídia local causou o atraso no lançamento do jornal que teve de mudar de endereço e temporariamente passou a funcionar em uma casa ao lado do Amazonas Shopping, na avenida Darcy Vargas. Mas essa é uma história mais para a frente…

Comentários

sobre o autor

Articulista-Claudio-BarbozaUm místico religioso, que hoje poderia ser arcebispo pelo tempo de estudo no seminário... Mas fez opção pelo jornalismo. Entre Manaus e Minas uma dúvida eterna. Ex-jogador de basquete, Garantido de coração e tricolor das Laranjeiras. Graduado em Filosofia na Faculdade Belo Horizonte, jornalismo pela UFAM, mestre em sociologia pela UFMG.