• Durango Duarte - Praça Ribeiro da Cunha em 1929
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Praça Ribeiro da Cunha em 1929

    Vista da praça com muro construído em seu entorno. In: Relatório do prefeito municipal Araújo Lima, 1929.

    Em 1976, o prefeito Jorge Teixeira transferiu o Pavilhão Universal que estava na praça Oswaldo Cruz e o instalou nessa Praça, sendo inaugurado em 10 de julho daquele ano. Esse pavilhão, anos depois, foi transferido, em definitivo, para a praça Tenreiro Aranha. A quadra de esportes que existe nesse logradouro foi construída pelo prefeito José Fernandes.

    Por meio da Lei Municipal 178, de 6 de abril de 1993, recebeu a denominação Praça José Lindoso. Nesse mesmo ano, um fato inusitado ocorreu: a Praça foi ocupada, indevidamente, pelo Grêmio Recreativo e Escola de Samba Sem Compromisso, que construiu um muro no seu entorno.

    Após receber denúncias dessa apropriação irregular, a Justiça determinou que o muro fosse derrubado e o logradouro, reconstruído. Porém, somente a quadra de esportes foi recuperada e extinguiu-se a Praça.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta