• Durango Duarte - Praça General Osório
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Praça General Osório

    Praça General Osório no início do século XX. In: Album do Amazonas 1901-1902.

    Oriunda da divisão do antigo largo da Campina (ver página 16), a extinta Praça General Osório localizava-se na área hoje compreendida pelo complexo esportivo do Colégio Militar de Manaus e pelo Colégio Dom Bosco, entre a avenida Epaminondas e as ruas Padre Ghislandi, Luiz Antony e José Clemente. Seu terreno foi aplainado em 1897 e o ajardinamento foi contratado três anos mais tarde, em 1º de maio de 1900, com Antônio Fernandes de Carvalho.

    O superintendente Martinho de Luna Alencar, em 1902, mandou construir um pequeno chalé no jardim dessa Praça para guardar as ferramentas e utensílios utilizados na manutenção do logradouro, além de servir de abrigo a um guarda. Em 1905, recebeu a instalação de uma fonte e outros melhoramentos. O prefeito Jorge de Moraes (1911-1913) mandou reformar parte do jardim e pintar os tanques, o chalé e o mictório.

    No segundo governo municipal de Araújo Lima (1926-1929), a Praça foi transformada em um parque, com variadas plantas ornamentais, além de aparelhos apropriados à recreação infantil. Entre os melhoramentos realizados nesse período, reformou- se também o antigo coreto em forma de anfiteatro, o qual foi demolido pelo prefeito Antônio Maia em fins da década de 30.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta