O despertar do fascínio e curiosidade do velho e novo mundo

Em 9 de abril de 2016 às 07:00.

compartilhe

Em 1783, Jacques Alexandre Cesar Charles, físico e químico francês especializado em trabalhos com os gases, aprofundou-se no estudo da densidade e seu poder de dilatação. Com os irmãos Nicolas e Anne-Jean Robert, construtores de aparelhos de precisão, construíram em seda impermeabilizada com borracha dissolvida em aguarrás, os primeiros balões a gás de hidrogênio.

Em 1791, outro químico francês, Antoine François Fourcroy, verificou que a coagulação do látex podia ser evitada com a adição de sais alcalinos. Dois outros eventos ocorreram naquele ano, o também francês C. Grossart produziu tubos de borracha com tiras enroladas em torno de cones de vidro ou cilindros e ao inglês Samuel Peal, foi concedida a patente britânica por ter sido o primeiro a utilizar a borracha natural como revestimento impermeabilizante de materiais como couro, algodão, linha e madeira.

Em 1803, em St. Denis, próximo a Paris, França, surgiu uma fábrica de produção de bandas elásticas de borracha, ligas e cintas. Uma fábrica para preparação de bens elásticos foi criada em Viena, Áustria, em 1811.

O industrial inglês Nadier, em 1820, fabricou fios de borracha e procurou utilizá-los em acessórios de vestuário. Por essa época começou a reinar na América a febre da borracha: os calçados impermeáveis dos índios faziam sucesso. Produziam-se tecidos impermeáveis e botas de neve na Nova Inglaterra. Época que marcou a transição das pesquisas de laboratório para o estágio fabril.

Credita-se o pioneirismo da indústria manufatureira da borracha ao inglês Thomaz Hancock, porque foi ele quem, em 1820, buscou pela primeira vez patentear diversos artigos para vestuário.

Em 1823, o escocês Charles Macintosh patenteou a manufatura de tecido impermeável. Cinco anos depois, em 1828, Hancock, introdutor da trituração, primeiro processo de preparo da borracha para manufatura – sistema de produção de bens em quantidade em série padronizada -, funda uma indústria de borracha na França. Mas o processo descoberto por Hancock não foi de todo exitoso, porque a matéria prima, em alta temperatura, amolecia e se tornava pegajosa; e na baixa temperatura, endurecia e quebrava.

A borracha cada vez mais despertava fascínio e curiosidade do Velho e Novo Mundo. Em 1832, John Haskins e Edward Chaffee, abrem a primeira fábrica de produtos de borracha da América do Norte, na cidade de Roxbury, Massachusetts.