• Durango Duarte - Museu Moacir Andrade
    • Iconografia
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Museu Moacir Andrade

    Busto de Moacir Andrade, rodeado de fotografias e certificados do homenageado, em exposição no museu. Foto: Maurília Gomes.

    O Museu Moacir Andrade foi inaugurado no dia 27 de maio de 1994, na então Escola Técnica Federal do Amazonas – Etfam, atual unidade sede do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas – Ifam, cujo diretor, à época, era Raymundo Luiz de Salles Dias. Seu acesso, inicialmente, era permitido só ao público interno da  Etfam.

    Esse espaço cultural se configura como um museu biográfico e se destina à preservação das obras de Moacir Andrade, além de servir como fonte de pesquisas para a comunidade. Ao todo, entre a produção artística e o acervo pessoal que pertencia ao seu patrono, o patrimônio desse museu contém mais de cinquenta mil peças, entre quadros, desenhos, esculturas, fotografias, livros, medalhas, placas, moedas, livros, miniaturas e outros.

    Localiza-se na avenida Sete de Setembro, n. 1.975, Centro, em um prédio anexo ao Ifam, que serviu por muitos anos de residência para os diretores da instituição e cuja estrutura física original foi mantida para garantir a sua caracterização como um museu-casa.

    Antes da instalação do museu, funcionava, nesse mesmo espaço, a Sala Memória, criada em 1º de outubro de 1986 pelo então diretor Jorge Humberto Barreto. O acervo da Sala Memória, com fotos, fardamento, documentos e outros objetos que registram a história da Escola, foi incorporado pelo Museu.

    Para facilitar a organização das peças, em 1996, os acervos das duas salas foram separados, de modo que ficou a Sala Memória no térreo e o Museu Moacir Andrade, no pavimento superior. Em 1997, ano em que o artista plástico se aposentou do cargo de professor da Escola, o museu foi aberto para visitação do público em geral.

    MOACIR ANDRADE (17-3-1927)

    O   manauense Moacir  Couto de Andrade é artista plástico de renome internacional. Estudou no Grupo Escolar Ribeiro da Cunha e no Ginásio Amazonense D. Pedro II. Em 10 de novembro de 1941, realizou sua primeira mostra de desenhos e pinturas durante a inauguração das novas instalações do Lyceu Industrial de Manaus – antigo Cefet-Am e atual Ifam –, no qual se matriculou em 1942. Foi desenhista de construção da empresa Mario Novelli em 1948 e atuou,  também,  como  professor  em escolas da Capital, entre elas a Escola Técnica Federal do Amazonas. É membro do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas, da União Brasileira de Escritores, da Associação dos Escritores do Amazonas e da Academia Amazonense de Letras (Cadeira de número 2). É fundador do Clube da Madrugada e idealizador da Pinacoteca do Estado do Amazonas.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta