Manaus, capital pela primeira vez

compartilhe

Vila da Barra do Rio Negro

A primeira vez em que Manaus alcançou a condição de capital ocorreu com a fundação da Capitania de São José do Rio Negro, criada em 1755 pelos portugueses para fortalecer a proteção do território que hoje compreende o Amazonas. Mas não foi logo de imediato.

 

Quando a Capitania foi instalada em 1758, seu primeiro núcleo administrativo foi a vila de Barcelos, ex-aldeia de Mariuá, escolhida por ser mais central e bem mais próxima de Belém, capital do estado do Grão-Pará e Maranhão.

 

Foi graças a Lobo d’Almada que a sede de São José do Rio Negro foi transferida para a Barra (nome primitivo de Manaus), em 1792. O lugar recebeu melhoramentos, a igreja matriz passou por reformas e foram construídos uma sede administrativa e prédios destinados à Guarnição, além de armazéns para a Fazenda.

 

A boa administração de Lobo d’Almada à frente da Capitania incomodou o governador do estado, Francisco de Sousa Coutinho, que tratou de lhe dificultar o governo.

 

Numa sequência de retaliações e desgostos, em maio de 1799, a sede voltou para Barcelos. Três meses depois, d’Almada foi deposto, vindo a falecer de paludismo em 27 de outubro daquele ano.

 

A Barra se tornaria sede definitiva da Capitania de São José do Rio Negro somente em 29 de março de 1808, no governo do capitão-mor José Joaquim Vitório da Costa.

 

Leia também A fundação de Manaus

Os 350 anos da cidade de Manaus, comemorados em 2019, têm sua origem na
construção de uma fortificação portuguesa ocorrida, possivelmente, em 1669.
Alguns autores afirmam que, naquele ano, o capitão Francisco da Mota Falcão foi
enviado pela Coroa lusa ao rio Negro para erguer um fortim, a fim de resguardar a
entrada da Amazônia Ocidental das invasões estrangeiras, sobretudo de holandeses e
espanhóis.