Laborum Meta

compartilhe

Cemitério São João Batista foi inaugurado em 5 de abril de 1891

Nos portões de ferro do centenário Cemitério São João Batista, fabricados em Glasgow, na Escócia, a frase Laborum Meta chama a atenção de quem por ali passa.

 

Inscrita sob o nome da necrópole, trata-se de uma expressão em latim que significa “Fim dos Trabalhos”, o que é muito conveniente, já que se trata da última morada dos que para ali são levados.

 

O Cemitério São João Batista foi inaugurado em 5 de abril de 1891, no governo de Eduardo Ribeiro.

 

Antes disso, as necrópoles públicas que existiam em Manaus – todas já desativadas – eram o Cemitério dos Remédios, próximo à igreja de mesmo nome, no Centro, o Cemitério São José, que funcionou na área onde hoje se encontra o Atlético Rio Negro Clube, e o Cemitério São Raimundo (ou dos Variolosos), nos arredores da Escola Estadual Marquês de Santa Cruz, no bairro São Raimundo.

 

Para a construção do São João Batista, foram adquiridos os terrenos pertencentes a João Batista Gonçalves da Rocha, Manoel José Fernandes Júnior e Amélia Leopoldina de Mello Cardoso, localizados no então bairro do Mocó, atual Nossa Senhora das Graças.

 

Na administração do prefeito Adolpho Lisboa, o local passou por melhoramentos. Em 1905, foram erguidos os muros da avenida Álvaro Maia e da rua Major Gabriel, com a colocação dos gradis e dos seus famosos portões. Os muros em alvenaria dos lados das ruas Getúlio Vargas e Belém foram construídos somente no início da década de 1920.

 

Em 30 de outubro de 1906, uma nova capela foi inaugurada, em substituição à original que já estava em condições precárias. Dois dias depois, a imagem de São João Batista, que estava na igreja de São Sebastião, foi transladada para a ermida recém-aberta, que passaria por nova reconstrução 10 anos mais tarde.

 

Oficialmente, foi a partir de 8 de janeiro de 1983 que o Cemitério São João Batista passou a receber apenas sepultamentos em jazigos perpétuos, cabendo ao então recém-construído cemitério-parque, no Tarumã, as novas inumações.

 

Localizado na praça Chile, esquina com avenida Álvaro Maia, o São João Batista possui uma área total de 20 mil m2, dividida em 25 quadras, com mais de 20 mil sepulturas. A necrópole foi tombada como Monumento Histórico do Estado do Amazonas em 14 de junho de 1988 (Decreto 11.198).