• Durango Duarte - Grupo Escolar Saldanha Marinho
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Grupo Escolar Saldanha Marinho

    Fachada do Grupo Escolar Saldanha Marinho. In: Album do Amazonas 1901-1902.

    A história dessa Escola inicia em 2 de janeiro de 1901 com a instalação da Escola Modelo, cuja finalidade era implantar um novo conceito de ensino primário (ver página 158).

    Criado no governo de Silvério Nery, esse estabelecimento de ensino ficou conhecido como Escola Modelo da rua Saldanha Marinho e funcionou até 1904, quando foi extinto. Nesse último ano de atividade, dividiu as suas instalações com a Escola Normal, atual IEA, que ali ficaria até 1907.

    No ano de 1908, com a denominação Grupo Escolar Saldanha Marinho, voltou a funcionar no seu local de origem, sendo dirigido pela professora Júlia Bittencourt. Entre 1910    e 1913, o Saldanha Marinho abrigou a Escola Universitária Livre de Manáos. Nesse período, as aulas das duas instituições aconteciam em horários distintos.

    O prédio dessa Escola passou por diversas reformas e   foi praticamente reconstruído em 1957, quando ganhou as características atuais.

    Decorridas três décadas, em 1988, por meio do Decreto 11.191, de 14 de junho, esse edifício – situado na rua Saldanha Marinho, n. 717, Centro – foi tombado como Monumento Histórico do Estado.

    Em fevereiro de 1998, na administração do governador Gilberto Mestrinho, a Escola foi reformada e, atualmente, seu prédio possui seis salas de aula, distribuídas em apenas um pavimento. Oferece o Ensino Fundamental.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta