• Durango Duarte - Estádio General Osório
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Estádio General Osório

    Vista aérea do estádio General Osório, com o ginásio coberto do Colégio Militar ainda em construção. Década de 70. Foto: Correia Lima. Acervo: Eduardo Braga.

    Em 1937, por meio do Ato 2, de 21 de dezembro, o Município concedeu a Praça General Osório ao comando da Guarnição Federal e do 27º Batalhão de Caçadores – BC para  a instalação de um estádio destinado à prática de educação física. Esse parque de exercícios, denominado Estádio General Osório, foi inaugurado em 2 de outubro de 1938 e servia tanto aos militares quanto ao público em geral.

    Na segunda metade da década de 50, o campo do General Osório passou a sediar uma das maiores manifestações culturais do Estado: o Festival Folclórico do Amazonas. Idealizado pelo jornalista Bianor Garcia e patrocinado pela empresa Archer Pinto – proprietária dos extintos periódicos O Jornal e Diário da Tarde –, a primeira edição do festival teve início em 21 de junho de 1957.

    Nesse campo, o Festão do Povo viveu seu primeiro ciclo de sucesso até o início da década de 70, quando o prefeito Paulo Nery, por meio do Decreto 163, de 23 de dezembro de 1971, concedeu, definitivamente, o terreno do Estádio General Osório ao Ministério do Exército para que ali o Comando Militar da Amazônia instalasse o Colégio Militar de Manaus – CMM. A partir daí, a área foi cercada e tornou-se de uso exclusivo às atividades do CMM, o que decretava o fim da Praça General Osório.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta