• Durango Duarte - Espaço interno da Biblioteca do Inpa
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Espaço interno da Biblioteca do Inpa

    Foto: Alex Pazuello.

    A biblioteca especializada do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – Inpa foi inaugurada em 1º de novembro de 1954, quatro meses após a instalação desse instituto. Originou-se do acervo particular do botânico João Barbosa Rodrigues, fundador do Museu Botânico do Amazonas.

    Com mais de cinquenta anos de atividade, essa Biblioteca possui um amplo acervo sobre a flora e a fauna da região amazônica, além de obras de naturalistas como Darwin, Bates, Spix & Martius, Agassiz, Goeldi, entre outros.

    Sua estrutura é composta por três pavilhões: no primeiro, são disponibilizadas salas para leitura – individual e em grupo – além de ser oferecido, gratuitamente, o serviço de internet.

    No Pavilhão II, encontra-se a Divisão de Publicações Seriadas, que reúne um acervo de, aproximadamente, 7.400 títulos de  publicações  periódicas  técnico-científicas,  além  de livros, teses, separatas, materiais especiais, como mapas, CD-ROM, DVD, microfilmes, fotografias e slides, entre outros documentos científicos.

    A secretaria, o auditório e os setores de processamento técnico de material bibliográfico, de vendas e de intercâmbio funcionam no Pavilhão III, onde também é realizada a assinatura e a distribuição da revista Acta Amazônica. Nesse pavilhão, disponibiliza-se, ainda, o Programa de Comutação Bibliográfica – Comut, que permite a qualquer pessoa, por meio da interligação de várias bibliotecas em todo o País, a aquisição de cópias de documentos técnico-científicos, nacionais e  estrangeiros.

    A sede do Inpa está localizada na avenida André Araújo – também conhecida como estrada do Aleixo –, n. 2.936, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul, e sua biblioteca dispõe, nos dias de hoje, de, aproximadamente, duzentos mil títulos.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta