• Durango Duarte - Colégio Dom Bosco
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Colégio Dom Bosco

    Fachada principal e lateral do prédio novo do Colégio Dom Bosco. Foto: Alex Pazuello.

    O início das atividades do Colégio Dom Bosco é marcado pela chegada a Manaus dos padres salesianos Pedro Ghislandi e Agostinho Caballero Martin e do monsenhor Pedro Massa, em 24 de julho de 1921, atendendo ao pedido do bispo diocesano Dom João Irineu Joffily.

    Para a instalação dos religiosos, a Diocese do Amazonas cedeu uma área onde estava sendo construído um prédio para a residência episcopal, na avenida Epaminondas, local em que o Colégio Dom Bosco permanece até os dias de hoje. A primeira ação realizada pelos missionários foi a criação do Oratório Festivo, em 7 de agosto daquele ano.

    O Colégio foi criado um mês depois, em 8 de setembro, com o prédio ainda em construção. Entretanto, suas atividades somente começariam seis dias depois.

    As aulas, inicialmente, aconteceram apenas no período noturno e eram oferecidas de forma gratuita aos filhos de operários, em regime de externato. Nesse primeiro ano de funcionamento, foram matriculados dezessete alunos. Seu primeiro diretor foi o padre Pedro Ghislandi.

    Para abrigar os alunos oriundos do interior do Estado, no dia 15 de agosto de 1923, instituiu-se o internato – que foi desativado no final da década de 50. Ainda em 1923, passou   a ser oferecido, no período da manhã, o curso primário. Já o Ginasial foi instalado dois anos mais tarde, no turno da noite.

    Em 1927, o prédio histórico – como é chamado pelos salesianos – já estava praticamente concluído, faltando-lhe apenas o revestimento das paredes. Em suas dependências havia, além das salas de aula, dormitórios, refeitórios, salão para solenidades, um museu e uma sala de armas.

    A partir da década de 30, o Colégio Dom Bosco incluiu novos cursos à sua grade curricular: Científico, Técnico em Contabilidade, Técnico Comercial e Pré-Jurídico.

    Esse Colégio manteve-se exclusivo aos estudantes do sexo masculino até 1971, quando recebeu a matrícula das primeiras alunas. Nesse mesmo ano, deu início ao Pré-Escolar.

    Entre as décadas de 70 e 90, essa instituição de ensino inaugurou dois novos prédios e aumentou sua capacidade de vagas. Com mais de oitenta anos de existência, em 2004, o prédio mais antigo desse Colégio foi integrado ao Patrimônio Cultural de Manaus pelo Decreto 7.176, de 10 de fevereiro daquele ano. Localizado na avenida Epaminondas, n. 57, Centro, o Colégio Dom Bosco oferece, atualmente, Educação Infantil e os ensinos Fundamental e Médio.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta