• Durango Duarte - Centro Educacional Santa Teresinha
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente

    Centro Educacional Santa Teresinha

    Edifício da escola em construção. In: CEST – Setenta anos em missão, 2007. Carla Vanessa Brito Pereira.

    Idealizado por Dom Pedro Massa, prelado apostólico dos rios Negro e Madeira, o objetivo inicial desse Patronato – instalado na área que, à época, pertencia ao bairro Cachoeirinha e hoje faz parte do Centro – era instruir as meninas carentes daquela área com os ensinos regular e profissionalizante, além de servir de casa de apoio às missionárias salesianas.

    A pedra fundamental do prédio foi lançada em 1935, no terreno localizado na esquina da avenida Sete de Setembro com a rua Duque de Caxias. Em 1º de setembro desse mesmo ano, com o edifício ainda em construção, Dom Pedro Massa iniciou as atividades desse estabelecimento educacional, sob a proteção de Santa Teresinha do Menino Jesus.

    No início, as Filhas de Maria Auxiliadora realizavam, sempre aos domingos, apenas a catequese e o Oratório Festivo. A direção das obras salesianas ficou a cargo da irmã Benedita Braga, que também era diretora do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora. Já as aulas de catecismo eram lecionadas pelas irmãs Margarida Oliveira e Glória Monte Claro.

    Em 1936, o Patronato passou a oferecer o ensino regular de 1ª a 3ª séries e, no ano seguinte, iniciou a 4ª e a 5ª séries. Ainda em 1937, no dia 15 de fevereiro, a Casa da Cachoeirinha foi aberta, em definitivo, sob a direção da irmã Benedita Braga.

    No entanto, as atividades apostólicas ficaram sob a responsabilidade das irmãs Michelina Necchi e Mariana Galvão. A solenidade de inauguração do Patronato Profissional Santa Teresinha ocorreu menos de dois meses depois, em 2 de abril.

    O interventor Álvaro Botelho Maia, por meio do Decreto 42, de 8 de fevereiro de 1938, autorizou o funcionamento – e a respectiva inscrição no então Departamento de Educação e Cultura – do Instituto Doméstico-Profissional Santa Teresinha, dirigida pelas Filhas de Maria Auxiliadora.

    Quatro dias depois, o Patronato tornou-se independente do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, sendo eleita como sua diretora a irmã Michelina Necchi. Decorridos oito anos, inaugurou-se o pavilhão para o funcionamento do internato.

    Em 1949, quando esse educandário passou a oferecer o Curso Industrial Básico, sua denominação foi alterada para Escola Industrial Santa Teresinha.

    Nesse mesmo ano, recebeu, por doação do Governo do Estado, o prédio e o terreno do Grupo Escolar Gonçalves Dias, em que hoje se encontra o Museu do Índio. Seu jardim de infância foi instalado em 13 de julho de 1950.

    A Escola Industrial voltou a ser chamada de Patronato em 1958. A partir de 1971, devido a problemas financeiros – que causariam o fechamento do internato no fim da década de 80 –, o Patronato começou a cobrar mensalidade.

    A sua nomenclatura atual, Centro Educacional Santa Teresinha – Cest, foi oficializada em 1977. Vinte anos depois, esse estabelecimento de ensino passou a aceitar a matrícula de alunos do sexo masculino.

    O Patronato – seu nome mais lembrado – está localizado na avenida Sete de Setembro, n. 2.107, Centro. Oferece a Educação Infantil e os ensinos Fundamental e Médio.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta