9ª semana de 1969

compartilhe

26 DE FEVEREIRO – QUARTA-FEIRA

• Inauguração da filial da loja de autopeças e mecânica RIOWAGEM, na avenida Joaquim Nabuco, n. 1126. (A Crítica, de 25 de fevereiro de 1969, p.5)

• Presidente Costa e Silva assina o Ato Institucional 7, determinando que, nos municípios que possuíssem até 300 mil habitantes, os vereadores não seriam remunerados. Segundo o economista Glicério Vieira Nascimento Sá, técnico estatístico da Comissão de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codeama), responsável pela “Pesquisa da Cidade de Manaus” realizada em 1968, a capital amazonense possuía 40 mil residências na zona urbana e oito mil na rural, com uma média de seis habitantes/casa, o que totalizava 288 mil habitantes. “Desta forma, o vereador amazonense não deverá ser remunerado neste ano de 1969, somente o sendo no próximo ano, quando a estimativa populacional ultrapassará o número requerido, de acordo com as previsões dos técnicos em estatísticas e de acordo com o desenvolvimento da cidade”. (A Crítica, de 27 de fevereiro de 1969, p.8)

27 DE FEVEREIRO – QUINTA-FEIRA

• Sinval Gonçalves é mantido na presidência do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Amazonas (SJPEA), para o biênio 1969/71, tendo como vice-presidente o sr. Phelippe Daou. (A Crítica, de 28 de fevereiro de 1969, p.3)

• Inauguração do Pronto Socorro de Acidentados – Clínica Ortopédica e Traumatológica do Amazonas (Cotam), na rua Monsenhor Coutinho, n. 267, dirigido pelos doutores Ernani de Aguiar Corrêa e Júlio Torres. “A Clínica inicia hoje seus trabalhos, operando em convênio com INPS, IPASEA, DERAm, Montepio e Caixa Econômica Federal, além de particulares. Ontem, apesar de ter sido aberto apenas para os jornalistas, dezenas de pessoas compareceram ao acontecimento, elogiando os médicos que idealizaram o hospital que veio em boa hora”. (A Crítica, de 27 de fevereiro de 1969, p.8)

• Instalação da Comissão Estadual do Livro Técnico e Didático (Celted), “órgão de maior importância como apoio no esforço que faz o Governo do Estado, através da Secretaria da Educação e Cultura, para dar ensino a toda a população em idade escolar, inclusive aos que enfrentam problemas de ordem financeira e econômica”. (Jornal do Comércio, de 28 de fevereiro de 1969, p.3)

• O Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (Igha) realiza sessão solene comemorativa ao centenário de nascimento do desembargador Antônio Gonçalves Pereira de Sá Peixoto. (Jornal do Comércio, de 25 de fevereiro de 1969, p.8)

28 DE FEVEREIRO – SEXTA-FEIRA

• Segundo aniversário de fundação da Suframa. “Uma missa votiva, a ser celebrada às 8 horas de hoje, na Catedral Metropolitana, marcará o início das comemorações do segundo aniversário da Superintendência da Zona Franca de Manaus. Após o ato religioso, haverá às 9,30 horas na sede da SUFRAMA, o solene hasteamento do Pavilhão Nacional, com salva de dois foguetões”. (Jornal do Comércio, de 28 de fevereiro de 1969, p.8)

• Fim das atividades do Instituto Benjamin Constant (IBC), “que será ocupado por alunos do grau médio. Excepcionalmente, quarenta alunas continuarão no regime antigo por defrontarem com situação difícil, segundo o estudo feito pelo Serviço Social da Secretaria de Educação, que entregou relatório de estudo da situação do IBC ao titular Vinicius Câmara, que baixou portaria ontem mesmo”. (A Crítica, de 28 de fevereiro de 1969, p.8)

1º DE MARÇO – SÁBADO

• Reabertura anual dos trabalhos da Assembleia Legislativa do Amazonas e da Câmara Municipal de Manaus. (A Crítica, de 1º de março de 1969, p.8)

• Instalação da Assembleia Universitária, marcando o início do ano letivo para todas as escolas de nível superior do Amazonas. O evento ocorreu no Teatro Amazonas e contou com as presenças dos corpos docentes, discentes, técnicos e administrativos de todas as faculdades que integravam a Universidade Federal do Amazonas. (O Jornal, de 1º de março de 1969, p.5)

• Lançamento da revista “Cinco Aros”, do Olympico Clube. “O órgão de divulgação do clube dos cinco aros, há muito tempo circulava na cidade, veiculando um variado noticiário esportivo. Depois de quase trinta anos, a revista que traz uma moderna impressão gráfica e atualizados artigos, além de reportagens, agradará decerto o público esportivo amazonense”. (Jornal do Comércio, de 1º de março de 1969, p.4)

• Inauguração do Super-Mercado da Cachoeirinha, na esquina da Carvalho Leal com a entrada do bairro de São Francisco. “Carne de gado e de porco, vísceras, peixes, aves, ovos, açúcar a 600 cruzeiros velhos o quilo, enfim, estivas em geral a preços bem acessíveis serão postos à venda nos balcões do Super-Mercado, que acabará com a necessidade dos moradores locais se dirigirem a diversos pontos para adquirirem os gêneros de cozinha”. (Jornal do Comércio, de 1º de março de 1969, p.8)

• Inauguração do L.M. Auto Posto, o mais moderno posto de lavagem de Manaus, de propriedade do sr. Luciano Muelas. “O L.M. Auto Posto, que segundo o seu proprietário é um dos mais modernos do Brasil, dispõe de elevadores especiais, lavagem e lubrificação por processo moderno, calibragem de uma só vez nos 4 pneus, estacionamento próprio e cômodo, além de carregar baterias em apenas meia hora. Será servido por elegantes senhorinhas e ainda disporá de um barzinho para os fregueses saborearem um gostoso cafezinho”. (Jornal do Comércio, de 1º de março de 1969, p.8)

• Inauguração do Ginásio Batista do Amazonas, no bairro Cachoeirinha, órgão educacional das Associações das Igrejas Batistas do Amazonas. Era dirigido pelo pastor Gedeon Rocha Lima e possuía 200 alunos. (Jornal do Comércio, de 5 de março de 1969, p.8)

• Entrega de certificados de conclusão aos 26 alunos da primeira turma do Curso Técnico em Edificações, da Escola Técnica Federal do Amazonas. Os formandos eram Agesilau Libório dos Santos, Ernesto Dias da Silveira, Evandro de Melo P. Borges, Flávio da Costa Lobato, Francisco Vieira de Souza, Geraldo Dias da Rocha, Gealdan José de Souza, Ivan Pereira de Lima, Jatir da Costa Freitas, João Gonzaga de Figueiredo, Jorge Rodrigues Santos, José Cavalcante Louzada, José Gomes da Silva, José Maria Nogueira, José Ribamar A. Bentes, Júlio Alves da Silva, Kleinir de Souza Bentes, Manuel Rodrigues Filho, Moacyr Medeiros Alves, Oscar Freire do Nascimento, Osmar Batista Borges, Raimundo Rocha de Araújo, Roberto Borges Backsmann, Roberto Derzi Amazonas, Roberto Honda de Souza e Vígor Santos G. da Silva. (Jornal do Comércio, de 1º de março de 1969, p.8)

03 DE MARÇO – SEGUNDA-FEIRA

• A Companhia Amazonense de Telecomunicações (Camtel) inicia a 3ª etapa da expansão de serviço telefônico no estado, chamando os inscritos de número 2.001 a 3.000. (Jornal do Comércio, de 26 de fevereiro de 1969, p.8)

04 DE MARÇO – TERÇA-FEIRA

• O Conselho Diretor da Fundação Universidade do Amazonas (FUA) aprova a criação da Biblioteca Central da Universidade do Amazonas, que ficará instalada provisoriamente em um dos prédios da FUA “ou em imóvel alugado, sendo da responsabilidade do Magnífico Reitor da Universidade a elaboração do seu regulamento, bem como a aquisição dos livros para o funcionamento da Biblioteca Central”. (O Jornal, de 19 de março de 1969, p.8)
• Aniversário de 92 anos de fundação da Loja Maçônica Amazonas, situada na Leovegildo Coelho e presidida pelo vereador Rodolpho Guimarães Valle. (O Jornal, de 6 de março de 1969, p.3)

Clique aqui e leia a série 50 anos (1969-2019).

Por Durango Duarte.

sobre o autor

Articulista-Durango-Duarte Durango Duarte é empresário, publicitário, escritor e pesquisador. É Diretor-Presidente do Instituto Durango Duarte e CEO das empresas #PESQUISA365 e The Voice. Nasceu em 11 de novembro de 1963, em Cachoeira do Sul/RS e veio com a família à capital amazonense em fevereiro de 1975. Apaixonado pela história, pelas memórias de Manaus.