2ª semana de 1969

compartilhe

08 DE JANEIRO - QUARTA-FEIRA

• Para controlar a entrada crescente de estrangeiros no Amazonas por conta da criação da Zona Franca de Manaus, o chefe de Polícia, João Valente, deu início a uma operação de fiscalização no Aeroporto Ponta Pelada e nos hotéis da cidade: “… doravante qualquer pessoa egressa de outro país, terá que informar às autoridades, na Ponta Pelada, de onde vem, nome completo, profissão, para onde vai, idade e filiação, dados que poderão facilitar, em qualquer eventualidade, as investigações policiais sobre a vida pregressa do emigrante, em casos de crimes”. (Jornal do Comércio, de 08 de janeiro de 1969, p.5)

• A Delegacia Especializada de Trânsito (DET) tomou algumas medidas para emplacamento de motos: “Quem quiser emplacar sua moto em 69 terá que ter seguro, carteira de habilitação e apresentar à DET os capacetes de segurança exigidos por lei. Segundo o delegado Ribamar Afonso, a mamata vai acabar, e só menor com mais de 15 anos poderá tirar a sua carteira de habilitação, assim mesmo, com autorização dos pais”. (A Crítica, de 08 de janeiro de 1969, p.8)

09 DE JANEIRO - QUINTA-FEIRA

• Chegam a Manaus, após permanecerem durante três dias em Boa Vista-RR, dezoito guianenses participantes da Revolta de Rupununi, na Guiana, que pretendia depor o governo do seu país. Os rebeldes, que pediram asilo político às autoridades brasileiras, vieram em um catalina da FAB, escoltados por uma patrulha do Exército. O desembarque foi a 1h45 no aeroporto de Ponta Pelada, sendo depois conduzidos, em um ônibus do GEF, ao Quartel do 27º Batalhão de Caçadores, no bairro São Jorge, onde permanecerão até ordem de embarque para a Guanabara (Rio de Janeiro). (A Crítica, de 09 de janeiro de 1969, capa)

• Após se eleger vereador, o animador e cantor J. Aquino, conhecido popularmente como “Carrapeta”, fechou contrato com uma gravadora do Rio de Janeiro para fazer um “long-play”: “Assim, viajará no próximo sábado para realizar a gravação, da qual as Lojas Novidisc já pediram reserva de dois mil exemplares”. (Jornal do Comércio, de 09 de janeiro de 1969, p.8)

10 DE JANEIRO - SEXTA-FEIRA

• Início do 5º Intercâmbio Nacional de Guias, com a participação de Bandeirantes do Amazonas e de diversos estados, um “conclave de máxima importância para o aperfeiçoamento da ação do Bandeirantismo brasileiro”. A solenidade de abertura do evento ocorreu na Praça da Saudade. (Jornal do Comércio, de 10 de janeiro de 1969, p.8)

• O Ginásio Estadual Márcio Nery, construído pelo governador Arthur Cesar Ferreira Reis, no bairro Cachoeirinha, formou sua primeira turma de concludentes do Curso Ginasial. (A Crítica, de 10 de janeiro de 1969, p.3)

11 DE JANEIRO - SÁBADO

• Para construir o Palácio Ruy Barbosa, sede da Assembleia Legislativa do Amazonas, a Secretaria de Viação e Obras do Estado já iniciou a demolição do antigo prédio do Departamento de Saúde, na Praça do Congresso. O prédio foi projetado pelo arquiteto Severiano Mario Porto (A Crítica, de 11 de janeiro de 1969, p.7)

O Tri em Símbolo

• Lançamento oficial do símbolo do Tricentenário da Cidade de Manaus, em solenidade realizada às 18h no hall do Teatro Amazonas. Inaugurado pela primeira-dama Violeta Areosa, o desenho foi concebido por uma equipe da Escola de Desenho Industrial da Guanabara e suas linhas lembravam metade da Bandeira Brasileira, significando que a região representa parte do país. Suas três figuras geométricas correspondiam a cada um dos séculos já vividos pela atual capital amazonense. “Ao mesmo tempo, as duas figuras superiores formam o M de Manaus e o espaço aberto configura o A de Amazonas”. (Jornal do Comércio, de 12 de janeiro de 1969, capa)

12 DE JANEIRO - DOMINGO

• A empresa Transamazon recebe nove ônibus modernos e confortáveis, “que irão servir aos bairros da cidade e também na ligação Manaus-Itacoatiara”. (O Jornal, de 10 de janeiro de 1969, p.3)

13 DE JANEIRO – SEGUNDA-FEIRA

• Aniversário de 56 anos do Nacional Futebol Clube. (Jornal do Comercio, de 19 de janeiro de 1969, p.17)

• O ministro da Aeronáutica, Márcio de Souza Melo, chega à capital amazonense para verificar as obras de construção de casas para o pessoal do Comando Aeronáutico de Manaus, dos trabalhos de manutenção da atual pista do aeroporto Ponta Pelada e da nova pista que será construída. (Jornal do Comércio, de 14 de janeiro de 1969, capa)

14 DE JANEIRO – TERÇA-FEIRA

• De maneira inesperada, o desembargador João Machado renuncia à presidência da Fundação Universidade do Amazonas (FUA), durante uma reunião do órgão na sede da Reitoria da Universidade: “Para substituir o dr. João Machado na FUA, foi eleito o Professor Garcitilzo do Lago Silva”. (A Crítica, de 16 de janeiro de 1969, p.3)

Por Durango Duarte.

Clique aqui e leia a série 50 anos (1969-2019).

sobre o autor

Articulista-Durango-Duarte Durango Duarte é empresário, publicitário, escritor e pesquisador. É Diretor-Presidente do Instituto Durango Duarte e CEO das empresas #PESQUISA365 e The Voice. Nasceu em 11 de novembro de 1963, em Cachoeira do Sul/RS e veio com a família à capital amazonense em fevereiro de 1975. Apaixonado pela história, pelas memórias de Manaus.