20ª semana de 1969

compartilhe

14 DE MAIO – QUARTA-FEIRA

• Governador Danilo Areosa sanciona lei aprovada pela Assembleia Legislativa, concedendo o título de “Cidadão Benemérito do Amazonas” ao comendador Agesilau Joaquim Gonçalves de Araújo, dirigente maior da firma J. G. Araújo & Cia. Ltda. (O Jornal, de 15 de maio de 1969, p.5)

• Os formandos da Faculdade de Direito da Universidade do Amazonas realizam a “Festa do Torto”, no Ideal Clube. (Jornal do Comércio, de 14 de maio de 1969, p.3)

15 DE MAIO – QUINTA-FEIRA

• Inauguração do Ambulatório Santa Cecília, na rua Silves, n. 268. A direção do novo setor de assistência médica é da dra. Elza da Gama Lima. (Jornal do Comércio, de 14 de maio de 1969, p.8)

• Inauguração da Empresa Nacional de Madeiras Tropicais Ltda. (Tropical), na avenida Ayrão, n. 2, bairro Presidente Vargas. O novo empreendimento faz parte do grupo constituído das empresas A. F. da Silva & Cia. Ltda. (Serraria Santa Luzia) e Empresa Comercial Técnica da Amazônia Ltda. (ECTAM). (O Jornal, de 14 de maio de 1969, p.5)

• Solenidade de incorporação dos conscritos convocados para prestarem o Serviço Militar, evento realizado no Quartel do 27º Batalhão de Caçadores, no bairro São Jorge. (Diário da Tarde, de 14 de maio de 1969, p.2)

17 DE MAIO – SÁBADO

• Inauguração da boate do Cheik Clube, “com apresentação da luz negra”. (A Crítica, de 17 de maio de 1969, p.11)

18 DE MAIO – DOMINGO

• Apresentação oficial do “Galo Carijó”, mascote do Atlético Rio Negro Clube. “A Diretoria do Atlético Rio Negro Clube convoca a comunidade rionegrina, em particular os seus Diretores, Sócios Proprietários, Sócios Contribuintes e seus Dependentes para a solenidade de caráter popular que ser realizará à porta do Clube, e depois por toda a cidade e no Parque Amazonense”. (Jornal do Comércio, de 16 de maio de 1969, p.3)

• Início do Campeonato Amazonense de Futebol de 1969, com a participação de oito equipes: Nacional, Fast Clube, Rio Negro, Olímpico, Sul América, São Raimundo, América e Rodoviária. No primeiro jogo, realizado no Parque Amazonense, o Rio Negro venceu o América por 6×2. (Diário da Tarde, de 19 de maio de 1969, p.8)

19 DE MAIO – SEGUNDA-FEIRA

• Solenidade de abertura da “Semana da Indústria” promovida pela Federação das Indústrias do Estado Amazonas (Fieam). (A Notícia, de 20 de maio de 1969, p.8)

• Eleição da nova diretoria do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, na abertura da “Semana da Indústria”. Encabeçada pelo presidente Aristóteles Bonfim, a diretoria eleita era composta também por Antônio Fernandes Marques, Nilo Lopes, Sebastião Silva, Pedro Sampaio e Juarez Sousa. (A Crítica, de 21 de maio de 1969, p.5)

• Início das aulas do curso “11 de Agosto”, preparatório para o vestibular da Faculdade de Direito da Universidade do Amazonas e que vai funcionar em uma das salas do Instituto de Educação do Amazonas. “Como é sabido, este é o terceiro ano de vitoriosas atividades do mencionado cursinho, visto no último vestibular o índice de aproveitamento daqueles que o frequentaram ter alcançado a casa dos 80%”. (O Jornal, de 15 de maio de 1969, p.5)

• Lançamento da primeira edição do jornal “A Tribuna Estudantil”, do Ginásio Estadual Marquês de Santa Cruz, organizado pelo Departamento Cultural do Grêmio Estudantil Tenreiro Aranha. (Diário da Tarde, de 20 de maio de 1969, p.3)

20 DE MAIO – TERÇA-FEIRA

• Início das aulas do cursinho pré-vestibular “Dr. Zerbini”, para Medicina, Farmácia e Odontologia. Localizava-se na avenida Sete de Setembro, em uma das dependências do Grupo Escolar Marechal Hermes, e tinha como professores Antônio Guimarães (Física), Ana Maria Cavalcanti (Biologia) e Rodrigo Ayres Lima (Química). (A Notícia, de 21 de maio de 1969, p.6)

Por Durango Duarte.

Clique aqui e leia a série 50 anos (1969-2019).

sobre o autor

Articulista-Durango-Duarte Durango Duarte é empresário, publicitário, escritor e pesquisador. É Diretor-Presidente do Instituto Durango Duarte e CEO das empresas #PESQUISA365 e The Voice. Nasceu em 11 de novembro de 1963, em Cachoeira do Sul/RS e veio com a família à capital amazonense em fevereiro de 1975. Apaixonado pela história, pelas memórias de Manaus.