16ª semana de 1969

compartilhe

16 DE ABRIL – QUARTA-FEIRA

• Início da circulação do jornal “A Notícia”, criado pelo empresário Felix Fink. “É matutino e de características modernas, orientando-o o deputado Andrade Netto e os jornalistas Arlindo Porto (Secretaria) e Paraguassu Oliveira (Administração)”. (Jornal do Comércio, de 17 de abril de 1969, p.8)

17 DE ABRIL – QUINTA-FEIRA

• Início da entrega das chaves das residências do novo conjunto residencial da Companhia de Habitação do Amazonas, no Parque 10 de Novembro. (Diário da Tarde, de 18 de abril de 1969, capa)

• Secretaria de Educação e Cultura do Estado (SEC) assina contrato com a empresa Carvalho Hosken para a construção do prédio que servirá de sede para a TV Educativa de Manaus, na estrada da Ponta Negra com a estrada do Tarumã. “A obra será edificada em duas etapas, sendo a primeira destinada às instalações para transmissores e torres, a segunda abrangerá um auditório com capacidade para 300 pessoas, instalações e administração”. (A Crítica, de 26 de abril de 1969, p.5)

18 DE ABRIL – SEXTA-FEIRA

• O presidente Costa e Silva assina decreto criando a 12ª Região Militar, com sede em Manaus e jurisdição sobre o Estado do Amazonas e Territórios Federais de Roraima e Rondônia. Pelo decreto, foi extinto o Grupamento de Elementos de Fronteira e transferida a sede do Comando Militar da Amazônia de Belém para Manaus. “O decreto em apreço determina que o Comando da XII Região Militar será exercido cumulativamente com o Comando Militar da Amazônia, e transforma o Quartel-General do Grupamento de Elementos de Fronteira em Quartel-General do Comando Militar da Amazônia e da Décima-Segunda Região Militar”. (Jornal do Comércio, de 19 de abril de 1969, capa)

• Inauguração do anexo do Departamento da Imprensa Oficial, destinado ao Serviço de Administração, na rua Leonardo Malcher. (O Jornal, de 19 de abril de 1969, p.5)

19 DE ABRIL – SÁBADO

• Aniversário de 21 anos do jornal A Crítica, “fundado que foi a 19 de abril de 1948, e após ter funcionado na Eduardo Ribeiro, posteriormente, e até hoje, passou a funcionar em sede própria, na Lobo D’Almada. (O Jornal, de 20 de abril de 1969, p.5)

• Voo inaugural do avião YS-11, da linha Manaus-Porto Velho, pertencente à empresa Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul. (Diário da Tarde, de 18 de abril de 1969, capa)

• Coquetel de lançamento do concurso “Miss Amazonas-69”, no Restaurante Chapéu de Palha. Promovido pelos Diários e Rádios Associados do Amazonas, o concurso dará à eleita, além do título de Miss Amazonas, o de Miss Tricentenário de Manaus. A vencedora será a representante amazonense na escolha de Miss Brasil que acontece em junho, no estado da Guanabara (Jornal do Comércio, de 16 de abril de 1969, p.5)

20 DE ABRIL – DOMINGO

• Inauguração da moderna sede social do Acácia Clube, na avenida Joaquim Nabuco, n. 1842. O Acácia era um clube destinado às comunidades maçônicas do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. (Jornal do Comércio, de 20 de abril de 1969, p.8)

• Início do 8º Congresso Batista Brasileiro, promovido pela Junta da Convenção Batista Brasileira. O responsável pela comissão organizadora foi o pastor José Vilaça da Silva, presidente executivo da Junta de Missões no Amazonas, Acre e Territórios Limítrofes. O congresso se estendeu até o dia 27 de abril. (A Crítica, de 17 de abril de 1969, p.7)

• Realização da festa “Noite Árabe”, com a escolha do “Broto Oriental 1969”, no Restaurante Chapéu de Palha, evento organizado pelo jornalista Farid Amud. A vencedora foi Grace Abrahim. (O Jornal, de 24 de abril de 1969, p.8)

22 DE ABRIL – TERÇA-FEIRA

• Inauguração de uma filial da Drogaria Econômica, das Organizações Haddad, à rua Henrique Martins, n. 116, esquina com Joaquim Sarmento, no Centro. (A Crítica, de 19 de abril de 1969, p.10)

Por Durango Duarte.

Clique aqui e leia a série 50 anos (1969-2019).

sobre o autor

Articulista-Durango-Duarte Durango Duarte é empresário, publicitário, escritor e pesquisador. É Diretor-Presidente do Instituto Durango Duarte e CEO das empresas #PESQUISA365 e The Voice. Nasceu em 11 de novembro de 1963, em Cachoeira do Sul/RS e veio com a família à capital amazonense em fevereiro de 1975. Apaixonado pela história, pelas memórias de Manaus.