11ª semana de 1969

compartilhe

12 DE MARÇO – QUARTA-FEIRA

• Governador Danilo Areosa envia mensagem à Assembleia Legislativa do Estado concedendo ao ministro da Fazenda, Delfim Neto, o título de “Cidadão do Amazonas”. Segundo Areosa, a homenagem se justificava porque Delfim Neto “vem envidando o melhor de seus esforços e dispensando a maior boa vontade na solução dos múltiplos problemas em prol do Amazonas, afetos ao seu Ministério, contribuindo para o seu bem-estar, crescimento e progresso de sua coletividade, o que o faz merecer da gratidão do Governo e do povo da região”. (A Crítica, de 13 de março de 1969, p.3)

• O jato “One Eleven” da empresa aérea VASP, que faz a linha Rio-Belém-Manaus e vice-versa, passa a pernoitar no aeroporto Ponta Pelada às quartas-feiras e domingos, saindo para Belém e Rio nas manhãs de quintas e segundas-feiras. (Jornal do Comércio, de 13 de março de 1969, p.8)

13 DE MARÇO – QUINTA-FEIRA

• O Conselho de Segurança Nacional (CSN), por meio do Ato Institucional 5, suspendeu os direitos políticos por dez anos e cassou os mandatos eletivos dos deputados estaduais Nelsonez de Noronha, Anfremon D’Amazonas Monteiro, Ismael Benigno e Renato de Souza Pinto. (Jornal do Comércio, de 14 de março de 1969, capa).

• Coquetel de lançamento da Financicar, empresa de financiamento e venda de veículos, em evento realizado no Hotel Amazonas. (Jornal do Comércio, 14 de março de 1969, p.4)

14 DE MARÇO – SEXTA-FEIRA

• Aniversário de 100 anos do Colégio Amazonense D. Pedro II, também conhecido como Colégio Estadual do Amazonas, localizado na avenida Sete de Setembro, Centro. (Jornal do Comércio, de 9 de abril de 1969, p.8)

• Início da construção do frigorífico-matadouro Frigomasa, no bairro do Paredão, empresa presidida por Edson Vieiralves e idealizada pelo prefeito Paulo Nery para “regularizar o abastecimento alimentar da cidade no que respeita a carnes”. (Jornal do Comércio, de 13 de março de 1969, p.5)

15 DE MARÇO – SÁBADO

• Inauguração do Pronto-Socorro Santa Rita, na avenida Carvalho Leal, nº 1.092. Seu proprietário era o dr. Inaldo Luigi Lasalvia. (Jornal do Comércio, de 9 de março de 1969, p.8)

• O Trio Ajuricaba recebe o prêmio de mil cruzeiros novos pela vitória no 2º Festival de Música Carnavalesca do Amazonas, realizado pela Rádio Baré, com a marcha-rancho “Espetáculo sem Cor”, do compositor Mafra Junior. (Jornal do Comércio, de 16 de março de 1969, capa)

17 DE MARÇO – SEGUNDA-FEIRA

• Início da entrega das casas do Conjunto Residencial Presidente Castelo Branco. “Quase dez mil pessoas se inscreveram na COHAB-AM para as 1.303 casas do grandioso conjunto erguido no bairro do Parque 10”. (Jornal do Comércio, de 14 de março de 1969, p.8)

• Prefeito Paulo Nery envia Mensagem à Câmara de Vereadores propondo a criação do Departamento de Transportes Coletivos de Manaus. “Atualmente todo este complexo relativo ao trânsito é de competência da DET, órgão especializado do Governo do Estado”. (Jornal do Comércio, de 18 de março de 1969, p.8)

• Aniversário de um ano da Loja Maçônica “Abraham Lincoln”, presidida por Wilson Alecrim Lopes. (Jornal do Comércio, de 15 de março de 1969, p.3)

18 DE MARÇO – TERÇA-FEIRA

• A Câmara Municipal de Manaus decide extinguir o mandato do vereador Raimundo Aleixo (MDB) por deixar de comparecer a cinco reuniões consecutivas, sem qualquer justificativa. Líder da oposição, Aleixo foi o mais votado nas eleições municipais de 15 de novembro de 1968, quando se reelegeu. “O impeachment de seu mandato produziu-se depois de quatro dias de rumores, quando já era bastante notada a sua ausência nas sessões e se dava o referido edil como em lugar incerto”. Em seu lugar, assumiu o primeiro suplente Walter Scott da Silva Rayol. (Diário da Tarde, de 18 de março de 1969, p.3)

• Início da construção das fundações do edifício David Novoa, na avenida Joaquim Nabuco, esquina com Lauro Cavalcante. “Os trabalhos obedecerão a uma programação acelerada, para que o edifício de 17 andares comece a crescer o mais rapidamente possível”. (O Jornal, de 19 de março de 1969, p.8)

• Apresentação do Conjunto de Câmara “Orpheus”, no Teatro Amazonas. “Neste concerto, páginas imortais de Adam, Straus, Offenbach, Beethoven, Kreisler e Meyerbeer serão executadas por três violinistas (Francisco Bacellar, Ignez Braga e Moysés Azancoth) e um pianista (Petrolysses Pimentel)”. (Jornal do Comércio, de 13 de março de 1969, p.8)

Por Durango Duarte.

Clique aqui e leia a série 50 anos (1969-2019).

sobre o autor

Articulista-Durango-Duarte Durango Duarte é empresário, publicitário, escritor e pesquisador. É Diretor-Presidente do Instituto Durango Duarte e CEO das empresas #PESQUISA365 e The Voice. Nasceu em 11 de novembro de 1963, em Cachoeira do Sul/RS e veio com a família à capital amazonense em fevereiro de 1975. Apaixonado pela história, pelas memórias de Manaus.