Vitaminas – a falta que elas fazem

Em 14 de Fevereiro de 2018 às 17:44, por Roberto Caminha Filho.

compartilhe

Fui fazer meus exames periódicos e…pimba! Estou meio lascado. Faltavam-me duas vitaminas essenciais para o TITE me convocar para a Copa do Mundo da Rússia.  A primeira é a vitamina C, responsável, dentre outras coisas, pela:

FORMAÇÃO DO COLÁGENO – que fortalece a pele, vasos e ossos, e ainda cura feridas.

ABSORÇÃO DE FERRO – é auxiliar na absorção do ferro que não deixa o craque virar Jeca Tatu e jogar com anemia.

TRATAMENTO DE GRIPES – debela as gripes e ainda controla as alergias das quais sou muito chegado.

FUNÇÃO ANTIOXIDANTE – combate os radicais livres que podem causar danos às células.

LUTA CONTRA INFECÇÕES – ajuda o Sistema imunológico a funcionar a nosso favor.

PROTEGE CONTRA EFEITOS DO ESTRESSE – ajuda na performance do cérebro e no sistema nervoso contra o estresse.

AJUDA A DIMINUIR O COLESTEROL – e o meu colesterol deu alto pela primeira vez. Veio, então, aquela pergunta cruel… Por que? E o espelho não tem dó – Comes mais que deves.

REGULAM OS NÍVEIS DE AÇÚCAR EM DIABÉTICOS – dessa, ainda estou fora.

MELHORA NOS SINTOMAS DA ASMA – também estou fora. Aos sessenta e cinco tudo que você não teve aos catorze, o organismo poderá te mostrar agora.

Resultado: Vou tomar o velho e cansado Redoxon 2 gramas e as azedinhas e gostosas acerolas, camu camu e araçá-boi.

A segunda vitamina que o meu exame cobrou foi a vitamin B-12. Essa é de uma importância que pode acabar com a minha convocação e provocar o corte para a Copa. O médico mandou manipular a bendita e obrigou-me a tomar uma robusta dose pela manhã. Segundo o Dr. Drauzio Varela, a carência da vitamina B-12 é causa de anemia acompanhada ou não por dificuldades para andar e formigamentos de distribuição simétrica, principalmente nas pernas, pés e mãos.

Estou escrevendo isso porque lembrei das Olimpíadas de Barcelona e da importância do nosso INPA na nossa sociedade.

O nosso craque Eduardo Piccinini estava dentro de um grupo de nadadores que foi convidado por uma doutora, para participar de uma pesquisa sobre vitamin A, em grupos da nossa região. Soubemos que a Vitamina A, também é responsável pela explosão nos atletas de velocidade. Resultado: o nosso craque, a vinte dias dos jogos, com carência da vitamin A, e não podia tomá-la por injeção. Era doping. A doutora exigiu que fôssemos atrás de buriti e entupíssemos o Piccinini com o suco da preciosa fruta. Era o que o craque queria. Saía do treinamento no Nacional e ía no Sr. Raimundo, no Boulevard Amazonas para o cruel sacrifício de tomar dois copos por dia. Ele tomava seis ou sete. Uns dois dias antes da viagem, passamos pelo INPA e a doutora, inteligente, simpática e profissional de gabarito, colheu o sangue e nos mandou o resultado por telefone. Ela ficara espantada com a melhora do Piccinini e se dependesse só da vitamina A, o amazonense seria o campeão olímpico. Faltou dizer para a bem formada doutora, que o único país que leva meninos de dezessete e dezoito anos para os Jogos Olímpicos, é o nosso Brasil. O Piccinini foi o oitavo do mundo. Daqueles oitocentos atletas, cuidados e mantidos por seus países como uns cavalos de corridas, dentro do mais rigoroso controle, ainda existia um, que ás vésperas dos Jogos, acusava carência de vitamina A. Nós, pais e avós, esquecemos desses detalhes com os nossos pequeninos de seis a trinta e seis anos, e a coisa pode pegar. Após corrigir as deficiências, a coisa melhorou muito e eu resolvi escrever para que os meus amigos relembrem que ainda é preciso refazer os exames periódicos e que o dedinho do médico não irá insultar a nossa masculinidade e muito menos provocar divórcios.

Roberto Caminha Filho, economista e nacionalino, não entende mais nada de esporte, mas sabe que doente não pode competir.

sobre o autor

Articulista-Roberto-CaminhaAmazonense de Manaus, estudou no Grupo Escolar Princesa Isabel, no Colégio Brasileiro e Colégio Estadual do Amazonas. É economista formado pela Universidade do Amazonas. Foi merecedor do Diploma da Medalha do Mérito Esportivo. É articulista do Blog Amazonas Atual e torcedor no Naça.

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *