To BIM or not to BIM (Parte 2)

Em 17 de novembro de 2016 às 10:20, por Amaury Veiga.

compartilhe

Essa é a Questão

No primeiro artigo discorremos sobre o que é BIM e a revolução causada pela sua introdução na área de engenharia civil e projetos.

Neste, abordaremos as principais plataformas de BIM e a sua quase obrigatoriedade de utilização pelos órgão oficiais e departamentos de infraestrutura no Mundo.

Vem dos EUA a verdadeira utilização do BIM na apresentação de projetos de infraestrutura e construção civil.

Com o aumento da adoção do BIM, o uso dos modelos digitais para projeto virtual, construção e colaboração está se tornando padrão. Órgãos governamentais, organizações e proprietários em todo o mundo estão exigindo o BIM em novos projetos de edificação. Por exemplo: no início de 2014, o Parlamento Europeu aprovou uma Diretriz para Aquisições do Setor Público que estimula as autoridades públicas a considerarem o uso do BIM em obras públicas, e chama a atenção sobre oportunidades e benefícios que o BIM apresenta para os projetos de construção pública.

  • Em 2011, o governo do Reino Unido anunciou uma estratégia de BIM que exige o BIM 3D colaborativo em projetos do governo a partir de 2016. Uma vez que as contas do governo têm gasto aproximadamente 40% do capital em construções no Reino Unido, isso é uma exigência agressiva.
  • Nos Estados Unidos, a Administração Geral de Serviços (GSA) — agência governamental que constrói e gerencia instalações federais e, como tal, o maior proprietário de espaço comercial nos Estados Unidos—começou a exigir a entrega da Modelagem de Informação da Construção para os principais projetos de edificação federal em 2006.
  • Desde 2008, o Corpo de Engenheiros do Exército Americano exige o uso do BIM em todos os projetos de construção militar, para aperfeiçoar o tempo de construção e custos.
To BIM or not to BIM (Parte 2) Durango Duarte

A figura acima, é a nova linha Elizabeth do metro de Londres, um projeto de $ 19,8 bilhões de dólares!

A modelagem mostra como a linha e suas estações se inserem na infraestrutura de estações, tubulações e tuneis existentes, possibilitando rápidas mudanças de projeto para evitar interferências.

A modelagem permite, também, monitorar cada item da construção através de um número e código de barras, identificando sua posição e finalidade no conjunto.

Quando inaugurada, em 2018, o modelo servirá para administrar e fazer a manutenção da linha!

No Brasil, a CBIC- Câmara Brasileira da Indústria da Construção, lançou em abril deste ano, o guia 10 Motivos para Evoluir com o BIM, divulgando as vantagens da utilização dessa nova ferramenta.

Como inovação extraordinária, o BIM já tem seu lugar assegurado na indústria da construção e de projetos!

Comentários

sobre o autor

Articulista-Amaury-VeigaÉ o que quis ser desde criança: engenheiro civil. Especializou-se em estrutura, numa carreira que já completou quarenta e quatro anos. Tem mais de quatro mil projetos de sucesso. Só não contava que, ao longo de sua trajetória de vida, também se dedicasse ao tênis, jazz, cinema, comida japonesa e agora escrever artigos.