Artigos

26 de janeiro de 2018

Construindo um país pluricultural e verdadeiramente democrático

[…] Marco este que foi apenas um começo e que traçou novos objetivos e metas em relação à presença da história e da cultura ameríndia e afro-brasileira

Articulista Hélio DantasProfessor de História em Manaus há 11 anos. Coordenador do Centro de Documentação do Colégio Amazonense D. Pedro II. Historiador, atuando na Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas na Gerência de Patrimônio e Museu do Teatro Amazonas. É autor do livro Arthur Cézar Ferreira Reis: Trajetória Intelectual e Escrita da História (Paco Editorial, 2014). Tem particular interesse pela História dos Intelectuais e da Educação no Amazonas. Hélio Dantas
Historiador
19 de janeiro de 2018

“Fica o que significa”…

O que nós temos guardado de nossos familiares e antepassados que não gozam do mesmo status? […] O que dizer de nós? O que vai ficar? O que vamos guardar?

Articulista Hélio DantasProfessor de História em Manaus há 11 anos. Coordenador do Centro de Documentação do Colégio Amazonense D. Pedro II. Historiador, atuando na Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas na Gerência de Patrimônio e Museu do Teatro Amazonas. É autor do livro Arthur Cézar Ferreira Reis: Trajetória Intelectual e Escrita da História (Paco Editorial, 2014). Tem particular interesse pela História dos Intelectuais e da Educação no Amazonas. Hélio Dantas
Historiador
16 de janeiro de 2018

E da Vinci não entregou a Mona Lisa

Esse famoso quadro, fica no Louvre, em Paris, e desaponta quem espera algo maior: foi pintado num pequeno pedaço de madeira de exatos 77 cm por 53.

Articulista-Jeferson-BrasilFoi baterista, segundo ele, do sofrível conjunto musical “Os Paqueras”. Jogou basquete, futebol e tênis de quadra. Admite, orgulhosamente, que seus dois irmãos jogavam muito mais. Sua vingança é hoje ser corredor de rua, com sonho de virar maratonista. É cronista bissexto. Jeferson Garrafa Brasil
Administrador
12 de janeiro de 2018

Sobre os nós que a nós nos ligam

Nesse longo cordão da existência, são esses os nós que a nós nos ligam, através dos tempos e dos espaços. Contar histórias nos faz humanos.

Articulista Hélio DantasProfessor de História em Manaus há 11 anos. Coordenador do Centro de Documentação do Colégio Amazonense D. Pedro II. Historiador, atuando na Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas na Gerência de Patrimônio e Museu do Teatro Amazonas. É autor do livro Arthur Cézar Ferreira Reis: Trajetória Intelectual e Escrita da História (Paco Editorial, 2014). Tem particular interesse pela História dos Intelectuais e da Educação no Amazonas. Hélio Dantas
Historiador
11 de janeiro de 2018

Contando histórias (20)

Marquez ainda começou a falar do boto que engravidava as moças no interior. Mas essa é uma história mais para a frente…

Articulista-Claudio-BarbozaUm místico religioso, que hoje poderia ser arcebispo pelo tempo de estudo no seminário... Mas fez opção pelo jornalismo. Entre Manaus e Minas uma dúvida eterna. Ex-jogador de basquete, Garantido de coração e tricolor das Laranjeiras. Graduado em Filosofia na Faculdade Belo Horizonte, jornalismo pela UFAM, mestre em sociologia pela UFMG. Cláudio Barboza
Jornalista
05 de janeiro de 2018

O murmúrio das sociedades

Revendo alguns álbuns de fotografias em casa, encontrei um álbum de família de minha esposa e uma foto, em especial, chamou minha atenção…

Articulista Hélio DantasProfessor de História em Manaus há 11 anos. Coordenador do Centro de Documentação do Colégio Amazonense D. Pedro II. Historiador, atuando na Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas na Gerência de Patrimônio e Museu do Teatro Amazonas. É autor do livro Arthur Cézar Ferreira Reis: Trajetória Intelectual e Escrita da História (Paco Editorial, 2014). Tem particular interesse pela História dos Intelectuais e da Educação no Amazonas. Hélio Dantas
Historiador
22 de dezembro de 2017

O fim do consenso

[…] houve uma dissolução daquele “consenso socialista” gerado pelos anos 80 e que a Constituição de 1988 foi o maior feito, pelas mais variadas razões.

Articulista-Gilson-GilCarioca, nascido em Madureira e criado no Catete. Sociólogo e professor da UFAM, já trabalhou em várias instituições de ensino no Amazonas e em outros Estados. É torcedor do Flamengo, está em Manaus desde 1992 e possui uma filha meio carioca, meio manauara. Torce pela cidade e pelas pessoas que aqui vivem. Gilson Gil
Sociólogo
20 de dezembro de 2017

Contando histórias (19)

Assim era o Francisco Pacífico, ou melhor, Chico Pacífico, um dos melhores repórteres investigativos da história do Amazonas.

Articulista-Claudio-BarbozaUm místico religioso, que hoje poderia ser arcebispo pelo tempo de estudo no seminário... Mas fez opção pelo jornalismo. Entre Manaus e Minas uma dúvida eterna. Ex-jogador de basquete, Garantido de coração e tricolor das Laranjeiras. Graduado em Filosofia na Faculdade Belo Horizonte, jornalismo pela UFAM, mestre em sociologia pela UFMG. Cláudio Barboza
Jornalista
15 de dezembro de 2017

O departamento de Correios e Telégrafos no AM (Série 1960)

Os Correios tiveram sua origem no Brasil a partir do dia 25 de janeiro de 1663, com a criação do Correio-Mor no Rio de Janeiro, então capital da Colônia. 

Gaúcho amazonense, militante estudantil nos anos 1980, empresário nas áreas de Marketing e Comunicação, consultor político, autor de diversas obras literárias, articulista, blogueiro, diretor presidente do Instituto Durango Duarte, apaixonado por história do Amazonas e de Manaus, às vezes torce pelo Grêmio. Durango Duarte
Empresário
07 de dezembro de 2017

Hotéis em Manaus (Série 1960)

Artigo de Durango Duarte sobre os Hotéis que surgiram, que foram vendidos ou reformados na cidade de Manaus durante a década de 1960.

Gaúcho amazonense, militante estudantil nos anos 1980, empresário nas áreas de Marketing e Comunicação, consultor político, autor de diversas obras literárias, articulista, blogueiro, diretor presidente do Instituto Durango Duarte, apaixonado por história do Amazonas e de Manaus, às vezes torce pelo Grêmio. Durango Duarte
Empresário
Página 4 de 24...3456...1020...

Articulistas