Artigos

19 de julho de 2016

Fogoieira das verdades (2)

Creio que a primeira vez que o vi foi, talvez, na segunda semana de curso, apontado por um amigo recente. Adotava um estilo protetor, gostava de nos aconselhar sobre como deveríamos nos portar, problemas que pudéssemos eventualmente enfrentar.

Articulista-José-SardinhaNascido caipira-pirapora, virou amazonense em meados dos anos 70. Por acaso militou no movimento estudantil, ajudou a criar um partido e virou médico. Não sabe rezar, mas adora música. Não sabe ganhar dinheiro, mas tem todos os vícios enunciáveis de público sem corar. É ex-atleta, sem convicção nenhuma e desconfiado. José Carlos Sardinha
Médico
19 de julho de 2016

Manaus, uma cidade para ser amada

Chegar a Manaus é sempre um impacto. Depois de horas de vôo ou dias navegando por densas áreas verdes, recortadas por curvas ocres e negras, depara-se com uma grande clareira que ruge animadamente. Surge clara e nua, banhada pelas águas escuras de um belo rio que lhe embeleza.

Amazonense, artista visual e historiador da cidade. Gosta de literatura, música, cinema e fotografia. Não dirige, mora no centro da cidade. Nada no Nacional e anda pela cidade olhando e fotografando pequenas coisas. Otoni Mesquita
Professor
16 de julho de 2016

Não houve violência, diz comandante da operação que encurralou manifestantes

Na mesma edição, A Crítica reproduz, em outra reportagem, mais uma declaração do major Brandão: “não houve violência, o que a polícia procurou fazer foi manter a ordem”, afirmou o vitimizado comandante da operação, que segundo informações do jornal teria saído ferido do confronto com os manifestantes, tendo que se internar no Pronto Socorro Ana Rosa .

Gaúcho amazonense, militante estudantil nos anos 1980, empresário nas áreas de Marketing e Comunicação, consultor político, autor de diversas obras literárias, articulista, blogueiro, diretor presidente do Instituto Durango Duarte, apaixonado por história do Amazonas e de Manaus, às vezes torce pelo Grêmio. Durango Duarte
Empresário
14 de julho de 2016

Há trinta e seis anos, uma visita ilustre

“Vós encontrais, por outro lado, não poucas situações de pobreza, de ignorância, de doenças, de marginalização que clamam por uma atenção desinteressada e eficaz de todos os que podem ajudar à promoção humana integral de amplas massas populares.” Frase pronunciada há trinta e seis anos pelo Papa João Paulo II, na missa celebrada na Bola da Suframa, sob o escaldante sol de uma sexta-feira em Manaus.

Articulista-Jorge-AlvaroGinasiano do Colégio Estadual, de 1969 a 1975, tímido para ser líder, somente em 1996 presidiu a associação dos juízes trabalhistas da Região, por dois anos. De Manaus, onde pretende morrer, ouve música e assiste filmes, indiscriminadamente. Mais leitor que escritor, afinal ser o segundo é para poucos. Aceita desafios. Jorge Alvaro
Magistrado
13 de julho de 2016

Cartão postal

Entretanto, a Arena, infelizmente, é isso, apenas: um cartão postal (sei que os mais jovens nem sabem o que é isso. Recomendo consultarem o “professor” Google)

Articulista-Gilson-GilCarioca, nascido em Madureira e criado no Catete. Sociólogo e professor da UFAM, já trabalhou em várias instituições de ensino no Amazonas e em outros Estados. É torcedor do Flamengo, está em Manaus desde 1992 e possui uma filha meio carioca, meio manauara. Torce pela cidade e pelas pessoas que aqui vivem. Gilson Gil
Sociólogo
12 de julho de 2016

A Trilogia dos Dólares, a Queda da Bastilha e a Apollo 11

Não sei quanto a você. Quanto a mim, quando penso em datas marcantes no mês de julho, de cara, me vêm à mente três eventos.

Articulista-Jeferson-BrasilFoi baterista, segundo ele, do sofrível conjunto musical “Os Paqueras”. Jogou basquete, futebol e tênis de quadra. Admite, orgulhosamente, que seus dois irmãos jogavam muito mais. Sua vingança é hoje ser corredor de rua, com sonho de virar maratonista. É cronista bissexto. Jeferson Garrafa Brasil
Administrador
12 de julho de 2016

Fogoieira das verdades (1)

Explicando melhor, eu jamais tinha me envolvido com qualquer tipo de ativismo político até então. Também não era um alienado total.

Articulista-José-SardinhaNascido caipira-pirapora, virou amazonense em meados dos anos 70. Por acaso militou no movimento estudantil, ajudou a criar um partido e virou médico. Não sabe rezar, mas adora música. Não sabe ganhar dinheiro, mas tem todos os vícios enunciáveis de público sem corar. É ex-atleta, sem convicção nenhuma e desconfiado. José Carlos Sardinha
Médico
09 de julho de 2016

Ônibus quebrados na bola da Constantino Nery e próximo ao Vivaldo Lima

No dia seguinte, A Crítica reporta a manifestação, dando destaque aos ônibus que foram quebrados na Bola da Constantino Nery e nas imediações do Estádio Vivaldo Lima. Segundo o jornal, a manifestação dos estudantes chegou a “provocar a revolta dos populares, que procuravam retornar aos seus lares” (A Crítica de 21 de setembro de 1983, p.02).

Gaúcho amazonense, militante estudantil nos anos 1980, empresário nas áreas de Marketing e Comunicação, consultor político, autor de diversas obras literárias, articulista, blogueiro, diretor presidente do Instituto Durango Duarte, apaixonado por história do Amazonas e de Manaus, às vezes torce pelo Grêmio. Durango Duarte
Empresário
08 de julho de 2016

Sauvegarder la diversité!

Ao longo desses sessenta anos vividos vi, conheci e convivi com tantos homossexuais que até a conta perdi. Com o passar dos anos o número de adeptos esteve a perder o medo e a vergonha, a enfrentar a resistência de tantos e está a registrar crescimento exponencial.

Articulista-Lucio-MenezesManauara, criado na José Clemente, Rua integrante do mais famoso quadrilátero do planeta terra. Torcedor do Fluminense, filho de Luiz e Joanna, canhoto, apreciador de vinho, cantor de banheiro, ex-atleta, ex-cabeludo, arremedo de poeta e escritor, heterossexual, sonhador e eterno aprendiz. Lúcio Menezes
Administrador
07 de julho de 2016

Entrevista com o Elétron

Olá, boa noite. Hoje no programa de frente com a quântica entrevistaremos ele, que é uma entidade muito difícil de localizar, é onda e partícula, responsável direto pela existência e estabilidade dos átomos e consequentemente da vida humana e talvez extraterrestre.

Henrique PecinattoAprendiz nível II de Físico, que em minha escala significa "falta muito para entregar a dissertação". 30/49 amazonense e apaixonado por esportes. Um curioso por natureza e da natureza, acha engraçado o caminhar das formigas, e amante de ímãs, mas tem um certo temor de eletrodinâmica. Henrique Pecinatto
Físico
05 de julho de 2016

Argumentação dos discursos na construção da cidade

Ao entrar no século XX, a cidade de Manaus já era descrita como uma cidade graciosa, moderna e saudável, pois as obras públicas haviam transformado seu aspecto, vestindo-a com avenidas calçadas, dotando-a com sistemas de iluminação elétrica, distribuição de água potável.

Amazonense, artista visual e historiador da cidade. Gosta de literatura, música, cinema e fotografia. Não dirige, mora no centro da cidade. Nada no Nacional e anda pela cidade olhando e fotografando pequenas coisas. Otoni Mesquita
Professor

Articulistas