Futebol brasileiro: o Amazonas é o culpado

Em 2 de setembro de 2016 às 14:58, por Roberto Caminha Filho.

compartilhe

Pronto!

Estava faltando eu ver uma asneira dessas. O André Rizek, o melhor da Globo, sendo contra o jogo da seleção brasileira de futebol, em Manaus, contra a Colômbia. Os “mais brasileiros”:  Fernando Duarte, da BBC BRASIL, o Garambone, mais moderado, juntamente com o superbrasileiro Eraldo Leite, Globo, determinaram que é de pouca brasilidade jogar em Manaus.

Como que um jogo tão importante, onde a torcida pode influenciar, vai ser jogado em Manaus?

Porque Manaus ainda é do Brasil, jumentos! E nunca torceu contra a nossa seleção, como outros estados, que até garrafas lançaram, e que se sentem os detentores da Carta de Alforria da canarinho.

Os excrementos do que um dia foi o futebol brasileiro estão aí. Totalmente patrocinados pela crônica esportiva do sul e sudeste do Brasil, onde esses geniais apresentadores, pontificam como os “Cremosos”.

Fernando Duarte, luminar da BBCBRASIL, não teve a oportunidade de assistir ao jogo Brasil 2×1 União Soviética, Copa do Mundo de Futebol de 1982, no Estádio Sanchez Pizjuan, em Sevilha, Espanha. Ao descermos do ônibus, ao lado do estádio onde o jogo seria realizado, nós, os amazonenses, tão acostumados ao calor, pensávamos haver descido na Casa do Capeta. A temperatura local era de quarenta e cinco graus Celsius. O Fernando Duarte não está a serviço da BBC. A BBC é muito chegada à ética. O Fernando Duarte deve ser mais um a distorcer as coisas do futebol brasileiro e a colocar a culpa, apenas, no Ricardo Teixeira, ou no Del Nero. Fernando, você disse que está na Inglaterra há quinze anos. Faz calor em Londres? As praças são invadidas pelas pessoas para usarem as águas dos chafarizes? Deixa de baboseiras, Fernando! Tu és mais um retardado do futebol brasileiro a quem, por qualquer indicação, foste presenteado com um microfone e ganhaste o direito de espalhar a santa ignorância brasileira pelo mundo. Quando o assunto for futebol, deixa com o Tim Vickery, o titular da BBC. O Tim sabe tudo e vocês são infantis perto dele.

Eraldo Leite, Global, como foi escrito abaixo do seu nome, és um debiloide, o Amazonas ainda é do Brasil e nós não ajudamos em nada para que o futebol brasileiro fosse esse dos 7×1, reconhecido internacionalmente. A culpa é de vocês, da Globo, principalmente, que arrendou os ultrapassados treinadores e preparadores para as suas intermináveis entrevistas. Enquanto isso, a Alemanha treinava e estudava os seus adversários.

O André Rizek, que eu respeitava por sua imparcialidade nas coisas do esporte, saiu-se com a última do futebol mundial:

– A Copa e esse jogo deveriam ser realizados em Belém onde existe futebol e dois clubes no futebol brasileiro.

– Meu bom Rizei, para que uma Copa do Mundo de Futebol seja realizada em uma cidade, esse local deve ter uma arena condizente com o tamanho da competição. Disfarça, Rizek, mas o povo amazonense tem lá seus direitos. Nós não construímos uma arena, construímos três. O nosso querido estado do Pará optou pela não construção dessa arena. A Arena da Amazônia é a melhor arena do Brasil e você deveria visitá-la. É sua obrigação conhecer as arenas do Brasil. Eu também posso dizer que o Templo do Futebol mundial, onde todos gostariam de estar, era o Maracanã, de 200.000 torcedores e cara de Catedral do Futebol. Deixaram vir para 125.000 e agora para 78.000 expectadores. Que coisa feia! A primeira fila levanta e as últimas são obrigadas a levantar para não serem impedidas de ver o espetáculo. Na próxima remodelação, o Maracanãzinho ultrapassará o Maraca em número de expectadores.

Façam tudo o que vocês ainda não fizeram para cavar o buraco em que o futebol brasileiro está metido, mas não nos coloquem como culpados de nada. O paulista e superbrasileiro Nabi Abi Chedid comprou a vaga do Nacional Futebol Clube e nos tirou da primeira divisão. Vocês, a crônica imparcial do mundo, consentiram. É difícil voltar. O Pará também não voltou e o futebol brasileiro sai do Brasil, todos os dias, sob os olhares complacentes de vocês, pelas sanfonas do Tom Jobim e de Guaraulhos. O Centro-Oeste e o Nordeste estão prestes a acompanhar o Norte na ausência do mapa do futebol brasileiro. O Campeonato Brasileiro, Série A, começa como A e termina como Z. Os timinhos que por aqui ficam, ainda poupam jogadores de um jogo de Copa para um de Campeonato.

Retardados, vocês assistem o Barcelona, o Madri, o Bayern, a Internazionale, ou os Manchesters pouparem jogadores? Poupar jogador só tem sentido aqui, e por vocês.

Roberto Caminha Filho, economista, nacionalino, odeia esses oportunistas com direito a câmeras e microfones.

Comentários

sobre o autor

Articulista-Roberto-CaminhaAmazonense de Manaus, estudou no Grupo Escolar Princesa Isabel, no Colégio Brasileiro e Colégio Estadual do Amazonas. É economista formado pela Universidade do Amazonas. Foi merecedor do Diploma da Medalha do Mérito Esportivo. É articulista do Blog Amazonas Atual e torcedor no Naça.