Contando Histórias (31)

Em 4 de fevereiro de 2019 às 08:00, por Cláudio Barboza.

compartilhe

O “Estado do Amazonas” teve ousadia ao lançar com destaque a jornalista Betsy Bell – para mim sempre minha querida amiga Maria Isabel – na função de colunista. Bell era da Editoria Bem Viver, de A Crítica, repórter de estilo próprio, bom texto e muito bem informada, mas nunca tinha exercido a função de colunista. Deu muito certo. Transformou-se em leitura obrigatória.

A ida de Maria Isabel (Betsy Bell) para o Estadão só ocorreu por conta da amizade dela com os dois colegas Paulo Castro e Sebastião Reis. Há anos em A Crítica não foi fácil convencê-la, mas falou mais alto a aposta no novo projeto e assim a repórter de A Crítica se transformou na principal colunista do Estado do Amazonas e do jornalismo local.

Além do texto refinado e de bom gosto, a ironia bem colocada e o humor equilibrado davam o toque especial na coluna de Bell, transformando o espaço num dos mais lidos do jornal. Assim foi até o momento em que ela seguiu para o Correio Amazonense.

Uma das primeiras perdas no nosso time foi quando o Diário do Amazonas fez uma proposta ao Editor de Fotografia Raimundo Valentin. Há meses ele aguardava equipamentos fotográficos, mas que não chegavam. O nosso diretor de redação, meu amigo Sebastião Reis ainda tentou argumentar… “mas logo agora que os equipamentos estão pra chegar…” Valentim partiu e os equipamentos nunca chegaram.

Estava chegando o Festival de Parintins e a missão de preparar a cobertura ficou comigo. A direção do jornal disse que não iria investir no evento porque o detentor de transmissão era a Rede Calderaro. Numa reunião entre o Diretor Comercial Paulo Castro, o Diretor de Redação Sebastião Reis e eu, na função de Editor Executivo, ficou decidido: vamos tocar o projeto por nossa conta. Definir os custos e correr atrás de patrocínio. O jornal entraria com a publicação do material.

Começo a preparar a equipe para a primeira cobertura do “Estadão” do Festival de Parintins e dois jovens colegas vão me ajudar a inovar na estrutura a ser instalada na Ilha… Keynnes Breves e Arlesson Sicsú, nascidos em Parintins conhecem os detalhes da Ilha e vão ser importantes nesse formato… mas essa é uma história mais para a frente!

Comentários

sobre o autor

Articulista-Claudio-BarbozaUm místico religioso, que hoje poderia ser arcebispo pelo tempo de estudo no seminário... Mas fez opção pelo jornalismo. Entre Manaus e Minas uma dúvida eterna. Ex-jogador de basquete, Garantido de coração e tricolor das Laranjeiras. Graduado em Filosofia na Faculdade Belo Horizonte, jornalismo pela UFAM, mestre em sociologia pela UFMG.