Contando histórias (18)

Em 14 de novembro de 2017 às 08:00, por Cláudio Barboza.

compartilhe

No final dos anos 70, os jornais A Crítica e A Notícia disputavam a liderança de mercado em Manaus. Ambos tinham redações fortes e seguiam a mesma tendência no noticiário, investindo principalmente em Política, Esportes e Polícia.

Quem comandava a redação de A Notícia era o jornalista Bianor Garcia, mais ligado às manchetes sensacionalistas, preferencialmente policiais, enquanto o comando de A Crítica era de um jornalista carioca, correspondente do Jornal do Brasil no Amazonas, chamado Caldas, mais próximo da área política.

O time de A Notícia, cujo dono era Andrade Neto, contava com jornalistas como o Gabriel Andrade, Raimundo Holanda, Ivânia Vieira, Carlos Costa, Terezinha Soares, Isaías Oliveira, Sebastião Reis, Carlos Aguiar, Nicolau Libório, Antônio Corrêa, Antonildo Meneses, etc.

Na primeira página e nas capas de cadernos, A Notícia usava a cor vermelha, abrindo manchetes sem seguir um padrão determinado da diagramação e que variava bastante. Estava muito mais para Notícias Populares, de São Paulo do que para O Globo.

No time de A Crítica estavam Messias Sampaio, Leal da Cunha, Manoel Lima, Mário Monteiro, Antônio Menezes, Luiz Vasconcelos, Sebastião Assante, Chica do Vale, Neide, Luiz Octavio, Leopoldo Sampaio, Gil, entre outros.

A Crítica, de Umberto Calderaro, usava a cor azul e seguia um padrão de diagramação que privilegiava o uso de colunas, seguindo uma tendência ainda forte nessa época do jornal Última Hora, do Rio.

Nessa época em várias ocasiões A Crítica e A Notícia travaram duelos em editoriais fortes, dividindo a cidade que a cada dia aguardava mais um capítulo da disputa envolvendo as duas empresas. Mas esta é uma história mais para a frente…

sobre o autor

Articulista-Claudio-BarbozaUm místico religioso, que hoje poderia ser arcebispo pelo tempo de estudo no seminário... Mas fez opção pelo jornalismo. Entre Manaus e Minas uma dúvida eterna. Ex-jogador de basquete, Garantido de coração e tricolor das Laranjeiras. Graduado em Filosofia na Faculdade Belo Horizonte, jornalismo pela UFAM, mestre em sociologia pela UFMG.

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *