Bela Circe

Em 25 de Abril de 2018 às 14:00, por Otoni Mesquita.

compartilhe

Não sei como conseguiu escapar da caixa de Pandora, ou simplesmente é uma natureza daninha que persiste entre os outros vegetais. Deixou as páginas das narrativas míticas e invade nosso cotidiano com uma bela figuração. Carne e osso, temperada com muita sedução e cinismo. É Circe, mas já não transforma homens em porcos, mas em bobos.

Veio para academia, mas não abandonou parte de suas práticas estranhas. Encanta homens e mulheres e tira proveito de todas as situações, inclusive da adversidade que afeta aos outros. Bela Circe, desde criança sabe iludir e dissimular.

Não age apenas nas sombras, mas também em plena claridade e com toda tranquilidade perante diferentes pessoas. Dissimulada, engana a todos e mesmo num auditório, lotado com uma plateia, ela é capaz de se colocar de maneira completamente convincente. Aparentemente, ela acredita em suas afirmações ou acredita que é aquilo que queremos ouvir.

A velocidade de suas práticas difere daquelas das longas histórias. Agora, ela tem pressa, precisa aproveitar as oportunidades e é bastante objetiva em suas ações. Precisa avançar, ganhar espaços e títulos. Há palcos e vitrines, mas ela já não se inibe, até mesmo os refletores favorecem seus objetivos. Precisa ser vista, em destaque. Quanto maior a plateia, mais uniforme e pouco reflexiva. Presas fáceis para ela. Deleita-se com os olhares encantados.

Bela Circe Durango Duarte

Mas haverá sempre alguém que discorde e a desmascare. Mas ela terá sempre muitos cúmplices que a livrarão e a pouparão de ser desmascarada. Eles se sentem protegidos prestando fidelidade a feiticeira.

Não necessita aplicar muitas palavras, sua bela face já é um argumento consistente. Mas ela não se contenta com isso. Procura demonstrar conhecimento e facilmente convence aqueles mais ingênuos. Um pouco de inteligência num mar de mediocridade faz muita diferença. Tem um charme especial para seduzir os homens e talvez algumas mulheres. Mesmo que, com um pouco de inteligência eles percebam que ela estar mentindo.

Lacrimeja e contesta, deixando que paire no ar a dúvida sobre qualquer verdade. Perante sua atuação, quase tudo perde a validade. Bela Circe, circula em outras esferas e sempre consegue o que quer. Avança.

Sina ou maldição? Ela não questiona e segue pela vida escapando de contos e dramas com desencontros. Mas as armadilhas são ela que monta, portanto muito cuidado com ela. Fico atento, paro, reflito e solicito com argumentos. Mas não adianta nada. Ela se faz de criança ou cabeça tonta, não me ouve e segue, sem responder ao questionamento.

Mesmo que vestida com simplicidade consegue encantar com sua elegância. Bela Circe, deve ter muitos pretendentes. Todos a se enganar. Ao seu redor mantém um circo de homens encantados. Difícil de escapar do encanto que lança no ar. Bela Circe, não precisa fazer qualquer esforço, todos querem lhe ajudar e assim ela segue.


MAIS DE OTONI MESQUITA




sobre o autor

Amazonense, artista visual e historiador da cidade. Gosta de literatura, música, cinema e fotografia. Não dirige, mora no centro da cidade. Nada no Nacional e anda pela cidade olhando e fotografando pequenas coisas.

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *