Amazônia: videografia no Arquivo Nacional

Em 12 de junho de 2017 às 08:00, por Hélio Dantas.

compartilhe

O site do Arquivo Nacional através do Portal Zappiens, possui um rico acervo de vídeos. Em sua grande maioria, produções governamentais de caráter informativo produzidos pela Agência Nacional de Notícias. Há vários vídeos sobre a Amazônia, inclusive contemporâneos (principalmente palestras em eventos científicos). Aqui vou me ater a alguns vídeos produzidos ao longo das décadas de 1960-70, todos de marcado caráter laudatório a respeito das ações políticas e administrativas da ditadura civil-militar. Para os interessados no período, constitui-se como uma importante documentação para análise.

Começo com um que não faz parte do recorte proposto. É um filme da série Cinejornal Informativo, nº 23, de 1955, intitulado de ”Recuperação da Amazônia”, apresentando ações da Superintendência do Plano de Valorização Econômica da Amazônia (SPVEA). Vemos, no vídeo, entre outras imagens, a de um Arthur Reis de meia idade, exercendo as funções de Superintendente da instituição. Infelizmente, o vídeo está sem áudio.

Já no recorte 1960-70, o Cinejornal Informativo nº 11, de 1965, mostra a visita do Presidente Castello Branco ao Amazonas, onde recebe o título de cidadão Benemérito do Amazonas, na Assembleia Legislativa, além de visitar as dependências do Hospital Getúlio Vargas e do Patronato Salesiano Santa Teresinha.

Em 1966, foram produzidos três Cinejornais Informativos com referências à Amazônia. O de nº 41, que mostra outra visita de Castello Branco ao Amazonas, mais especificamente no conjunto residencial da Cooperativa do Amazonas e nas instalações da Vila Militar, além de uma visita a Roraima para inaugurar um hospital. O nº 51 documenta, entre outras coisas, a visita do Presidente Castelo Branco ao Acre e ao Território Federal de Rondônia, além da reunião, promovida pela Confederação Nacional da Indústria, de governadores dos Estados e Territórios que integravam a área da SUDAM, com a assinatura da Declaração da Amazônia (não preciso nem dizer que Arthur Reis, à época governador do Amazonas, estava lá!). O de nº 54 apresenta com mais detalhes a reunião supracitada, onde estiveram presentes os governadores: do Amazonas (Arthur Reis), do Pará (Alacid Nunes), do Maranhão (José Sarney), de Goiás, do Acre e dos Territórios do Amapá, Rondônia e Roraima. Há também imagens de uma visita às fábricas de juta em Parintins e Santarém, e ao Forte de São José de Macapá.

Já em 1967, o Cinejornal Informativo nº 56 descreve a Conferência de Chefes de Missões Diplomáticas do Brasil nos Países Limítrofes da Região Norte. Já em 1968, o Cinejornal Informativo nº 106 mostra a assinatura de projetos em defesa dos seringais do Acre, além de uma reunião comandada pelo Presidente Costa e Silva para estabelecer planos administrativos para a Amazônia.

 No ano de 1968, há três vídeos, todos Cinejornais Informativos. O nº 107 mostra o Presidente Costa e Silva recebendo o título de cidadão amazonense, além de visitas suas à capitais nortistas. O nº 126 documenta o embarque de estudantes no navio Barroso Pereira, no Rio de Janeiro, com destino à Amazônia (Projeto Rondon). O nº 142 apresenta a construção de barcas para transporte comercial pela Empresa de Navegação da Amazônia.

No ano de 1970, três vídeos curtos foram editados. O primeiro deles, intitulado ”Região Amazônica”, apresenta aspectos da flora, fauna e do desenvolvimento da região, com um slogan bem ao gosto desenvolvimentista no final: ”Amazônia, nova etapa para o desenvolvimento harmônico do país”. O segundo, chamado ”A Transamazônica” mostra a inauguração das obras da rodovia, com as presenças do presidente Médici e do ministro dos transportes Mário Andreazza, aplaudindo e aprovando a derrubada das árvores… Por fim, há um último vídeo chamado ”Atuação da marinha na região Amazônica”, mostrando o patrulhamento dos rios.

No ano de 1971, encontrei outros três vídeos. Um é da série Brasil Hoje, nº 10 e apresenta demonstrações de aviões em operação na Amazônia, realizando transporte de passageiros e ”assistência aos índios”. Há também um pequeno documentário intitulado ”Nem inferno, nem paraíso”, documentando a atuação dos operários e técnicos da Petrobrás na Região do Rio Mamoré, Amazonas, à procura de petróleo, com direito a cenas de desmatamento (que na época era algo extremamente desejável), sondagem de áreas prováveis para perfuração, acampamento e vida cotidiana, tudo isso acompanhado por uma narração pretensamente poética. ”Operação Carajás” é outro pequeno documentário que mostra manobras das Forças Armadas na Região Amazônica: treinamento anti-guerrilha, aspectos da rodovia Transamazônica, e prestação de assistência médico-odontológica, pelo Exército, às populações locais.

Em 1972, há mais três vídeos: Brasil Hoje nº 16 mostrando mais manobras militares do Comando Militar da Amazônia e a atuação da Operação ACISO. ”Correio aéreo nacional da Amazônia” e ”Transporte aéreo na Amazônia” apresentam imagens da atuação da FAB, do CANAM (Correio Aéreo Nacional da Amazônia), do ETA (Esquadrão de Transportes Aéreo) e do Serviço de Salvamento Aéreo (SAR) na manutenção de aviões, no atendimento à acidentes, e no transporte aéreo de passageiros na região amazônica.

Já em 1973, há dois vídeos: Brasil Hoje nº 36, que mostra o Presidente Médici no início da construção da Estrada Perimetral Norte e Brasil Hoje nº 40 apresenta a palestra de Jarbas Passarinho sobre as medidas do governo na Amazônia, no 3º Seminário sobre a Realidade Amazônica, em Águas de Lindóia.

Em 1974, mais dois vídeos: ”A integração da Amazônia”, que mostra imagens das obras da rodovia Transamazônica  e das agrovilas do INCRA. Já Brasil Hoje nº 52 apresenta o Presidente Médici inaugurando o 3º trecho da Transamazônica. Brasil Hoje nº 88, de 1975 mostra aspectos da cidade de Manaus: Zona Franca, Distrito Industrial, Estação de Tratamento de Água, além da visita do presidente Ernesto Geisel às obras do Aeroporto Internacional e a reinauguração do Teatro Amazonas. Brasil Hoje nº 118, do mesmo ano, tem o pomposo título de ”No pórtico da Hiléia Monumental”, e mostra aspectos de Belém: do Banco da Amazônia ao Círio de Nazaré.

Do ano de 1976, encontrei mais três vídeos. Brasil Hoje nº 131, mostra a visita do Presidente Ernesto Geisel à Macapá e à Belém para inauguração de obras públicas. Brasil Hoje nº 165 mostra, entre outras coisas, a inauguração da Usina de Beneficiamento da Borracha, em Lábrea, pelo então governador Henoch Reis, como etapa do projeto Operação Seringueira. Brasil Hoje nº 176, intitulado ”O desafio da Amazônia”, apresenta o depoimento de um casal de agricultores sobre as condições de cultivo da terra e da vida nas “agrovilas” ao longo da BR-163.

Já em 1977 encontrei quatro vídeos da série Brasil Hoje: o de nº 188 que mostra visita de Ernesto Geisel a Vila Rondônia, em Porto Velho; o de nº 203 que apresenta o levantamento topográfico feito pelo INCRA, para distribuição de terras a empresários em Roraima, com direito a entrega do primeiro título de propriedade a um índio; o de nº 208, documenta a visita de Geisel a Rio Branco, Acre. E no de nº 212, Geisel visita Santarém para inaugurar obras públicas. O último vídeo que encontrei é de 1978, Brasil Hoje nº 253, apresentando a visita de Geisel à casa de um colono na ”rurópolis” do INCRA, entre Itaipu e Altamira.

Os vídeos são uma boa demonstração sobre como é trabalhado em vídeo o discurso desenvolvimentista apregoado pela ditadura civil-militar (e tão caro a todos os governos brasileiros).

sobre o autor

Articulista Hélio DantasProfessor de História em Manaus há 11 anos. Coordenador do Centro de Documentação do Colégio Amazonense D. Pedro II. Historiador, atuando na Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas na Gerência de Patrimônio e Museu do Teatro Amazonas. É autor do livro Arthur Cézar Ferreira Reis: Trajetória Intelectual e Escrita da História (Paco Editorial, 2014). Tem particular interesse pela História dos Intelectuais e da Educação no Amazonas.

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *