• Durango Duarte - Escola de Enfermagem de Manaus
    • Iconografia
    • Manaus
    • Manaus, entre o passado e o presente
    Escola de Enfermagem de Manaus

    Vista do prédio da Escola de Enfermagem de Manaus, antes da ampliação. Acervo: Biblioteca do IBGE – Arquivo Fotográfico Ilustrativo dos Municípios Brasileiros.

    Em 1º de dezembro de 1949, o então Serviço Especial de Saúde Pública – Sesp, atual Fundação Nacional de Saúde, por iniciativa do seu superintendente Marcolino Candau, criou a Escola de Enfermagem de Manaus – EEM para preparar profissionais, com cursos de graduação, e formar auxiliares de enfermagem a fim de atuarem em nossa Região.

    A autorização para o seu funcionamento foi concedida por meio da Portaria 1.051, de 14 de dezembro de 1951, do Ministério da Educação e Cultura, mas o seu reconhecimento veio somente três anos mais tarde, em 13 de dezembro de 1954. Com capacidade para vinte alunos, instalou-se em um prédio estilo residencial, situado na rua Teresina, n. 495, no bairro Adrianópolis, endereço que mantém até hoje.

    Em seu primeiro ano de funcionamento, a EEM registrou apenas seis matrículas e teve como diretora a enfermeira Rosaly Rodrigues Taborda, que permaneceu à frente dessa instituição até o dia 3 de dezembro de 1954.

    Na década de 70, o Ministério da Educação homologou o Regimento Interno da Escola de Enfermagem de Manaus, que oferecia, inicialmente, o curso de graduação em Enfermagem, com três anos de duração, e o de Auxiliar em Enfermagem, com dezoito meses. Até 1975, a Escola de Enfermagem já havia formado 203 enfermeiros, 155 enfermeiros em Saúde Pública e 331 auxiliares em enfermagem.

    Em 1974, a Fundação Sesp decide ampliar a Escola para atender à demanda por seus cursos. O novo edifício, com mais de três mil metros quadrados, dois pavimentos, quatorze salas de aula, laboratórios, departamentos administrativos, diretório acadêmico, biblioteca, refeitório, auditório com capacidade para duzentas pessoas, entre outras dependências, foi inaugurado em 26 de março de 1976, com a presença do presidente da República, Ernesto Geisel.

    Duas décadas depois, de acordo com a Lei Federal 9.484, de 27 de agosto de 1997, a EEM foi incorporada à Fundação Universidade do Amazonas – FUA como uma Unidade Acadêmica da então UA. Apesar de sua denominação atual ser Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Amazonas, ainda utiliza a sua sigla original: EEM.

    Imagem e texto retirados do livro Manaus, entre o passado e o presente do escritor Durango Duarte.

Fechar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *